Porto Velho (RO) domingo, 24 de outubro de 2021
×
Gente de Opinião

Municípios

Daniela Amorim quer biocombustível só de plantas nativas


A deputada estadual Daniela Amorim (PTB) quer ampliar a oferta de biocombustíveis no estado, a partir da produção de essências regionais, que permitam o desenvolvimento sustentável, com aproveitamento de todo o potencial ambiental, numa experiência pólo que está sendo articulada em Ariquemes, e que envolve diretamente cerca de 150 produtores rurais.

Para assegurar os subsídios necessários ao desenvolvimento desse empreendimento, Daniela Amorim visitou, no início da semana, o projeto  Reflorestamento Econômico Consorciado e Adensado (RECA), no distrito de Nova Califórnia, na divisa de Rondônia e Acre. Acompanhada do ajunto da Secretaria Estadual de Agricultura, Aníbal de Jesus, do agrônomo José Jesus Gonçalves e do presidente da Companhia Extrativista Vale Abunã (CEVA), Jacob Schlosser, a deputada conheceu um experimento desenvolvido com o açaí de touceira, pelos agricultores do Reca.

A vantagem dessa palmeira, segundo verificou a parlamentar, é ser nativa, produz 1001 derivados, entres eles, o mais requisitado do mercado, o biocombustível, sem prejudicar o meio ambiente. "Ao contrário, essa palmeira serve para ecoreflorestar áreas, e dela se extrair o óleo para biocombustíveis, mas também se produz ração animal, polpa, e mais outros mil produtos com mercado garantindo gerando renda aos produtores envolvidos, desenvolvimento social com aproveitamento de mão de obra e ainda ajuda ao meio ambiente", afirma, entusiasta, o presidente da Ceva.

O próximo passo, segundo ele, deve ocorrer nos próximos dias em Ariquemes, com o envolvimento da Prefeitura em novas reuniões com os produtores para criar o pólo com o açaí de touceira. "Nossa intenção é que essa planta seja explorada em todo o estado pelos produtores de biocombustíveis pelas vantagens sócio-econômicas e ambiental já demonstrada.", afirma Jacob Schlosser.

Daniela Amorim vê com bons olhos esse empreendimento, porque promove o desenvolvimento sócio econômico associado ao componente ambiental , conforme já certificado pelo Reca. O projeto de Reflorestamento Econômico Consorciado e Adensado, uma referência nacional e internacional em inclusão social, surgiu como uma alternativa às famílias agricultoras, que migraram de diversas regiões do Brasil para a região oeste de Rondônia, e hoje sobrevivem e se mantem na floresta buscando a preservação do meio ambiente e sustentabilidade econômica.
 
Fonte: Yodon Guedes

Mais Sobre Municípios

Vilhena cresce mais que Estado e Brasil em 2020 e 2021 gerando empregos e abrindo empresas

Vilhena cresce mais que Estado e Brasil em 2020 e 2021 gerando empregos e abrindo empresas

O bom momento econômico de Vilhena fica evidente com relatórios emitidos pelo Ministério do Trabalho (MTE) e pela Secretaria Municipal de Fazenda (S

Busca ativa é realizada para solucionar pendências de documentação à regularização de imóveis nos bairros Calama e Paraíso em Porto Velho

Busca ativa é realizada para solucionar pendências de documentação à regularização de imóveis nos bairros Calama e Paraíso em Porto Velho

A Prefeitura de Porto Velho encerra nesta sexta-feira (22), às 13h, uma ação de regularização dos imóveis localizados nos bairros Calama e Paraíso. O

Hildon Chaves defende a importância de projetos de sustentabilidade na Amazônia

Hildon Chaves defende a importância de projetos de sustentabilidade na Amazônia

O prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves, participou na quinta-feira (21) da 300ª Reunião Ordinária do Conselho de Administração (CAS) da Superintendê

Complexo Beira Rio será sede da Prefeitura de Cacoal

Complexo Beira Rio será sede da Prefeitura de Cacoal

Visando por fim na antiga prefeitura no Centro de Cacoal, a atual administração está alterando a finalidade do Complexo Beiro Rio e levará, até o fi