Porto Velho (RO) terça-feira, 22 de setembro de 2020
×
Gente de Opinião

Municípios

Confúcio percorre o viaduto em Ji-Paraná


Gente de Opinião

“É um marco importante, não só para Ji-Paraná, mas para Rondônia inteira”, avalia o governador Confúcio Moura sobra a importância do viaduto em Ji-Paraná. Acompanhado do prefeito local Jesualdo Pires, vereadores, secretários estaduais, do Senador Acir Gurgacz e do ex-prefeito José de Abreu Bianco, o governador visitou a obra de emenda parlamentar federal que está dando novo desenho à urbanidade de Ji-Paraná.

Ao final da visita, o governador concedeu entrevista e lembrou o sofrimento do povo ji-paranaense. “A população de Ji-Paraná já sofreu muito com as obras de duplicação da ponte do rio Machado. Agora é só comemorar mais esta etapa do desenvolvimento da cidade”, disse o governador Confúcio Moura, para, em seguida, reforçar que o Governo da Cooperação também está fazendo na cidade obras de infraestrutura nunca antes realizadas no interior pelo governo do Estado.

Confúcio Moura destacou algumas destas realizações: a instalação da usina de asfalto; asfaltamento de 50 quilômetros de vias mais 13 quilômetros do anel viário; canalização, drenagem e urbanização do igarapé Pintado; edificação de 593 casas populares; construção de seis escolas indígenas e outra no padrão do MEC na cidade; reconstrução e ampliação da pista do aeroporto mais a construção de um moderno terminal de passageiros e investimentos da ordem de R$ 3,5 milhões para sinalizações horizontal e vertical.

 
Gente de Opinião

Viaduto

Apesar de ainda não ter sido inaugurado, o viaduto deverá ter o tráfego liberado ainda nesta semana, segundo informações da assessoria do senador. Além do viaduto, a obra de R$ 68 milhões inclui a duplicação da rodovia BR-364 num trecho de dez quilômetros no perímetro urbano da cidade. “São 321 metros de extensão por 22 metros de largura em duas pistas de cada lado”, informa o senador, a dimensão do viaduto que ainda deverá receber iluminação até o final deste semestre.

O serviço de duplicação da rodovia e construção do viaduto durou nove meses e consumiu cerca de 800 toneladas de asfalto usinado a quente. A empresa responsável pela obra chegou a atuar com cerca de 550 funcionários no auge dos trabalhos, no período intenso das chuvas amazônicas.

Fonte: Decom / fotos: Paulo Sérgio de Oliveira

 

Mais Sobre Municípios

Semusa promove ações de valorização da vida para profissionais de saúde

Semusa promove ações de valorização da vida para profissionais de saúde

Setembro é o mês de intensificação das ações de prevenção ao suicídio através da campanha Setembro Amarelo. Em um ano de pandemia, com o isolamento