Porto Velho (RO) quarta-feira, 27 de maio de 2020
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

'Vocês têm que se esforçar para me convencer', diz ministro russo sobre carne brasileira


Eliane Oliveira - Agência O Globo BRASÍLIA - Em visita ao Brasil, onde se encontrou com autoridades brasileiras nesta quinta-feira, o ministro de Negócios Estrangeiros da Rússia, Sergei Lavrov, não deu esperança sobre quando seu país acabará com o embargo às importações de carnes bovina e suína in natura do Brasil, em vigor desde o final do ano passado. Mas ele não se livrará, esta noite, de um banquete de carnes servido em uma churrascaria de Brasília. - Espero que, com isso, o ministro Lavrov mude de idéia - brincou o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim. Lavrov não se fez de rogado: - Vocês terão de fazer muito esforço, porque estou vindo da Argentina. A Rússia suspendeu as compras de carnes brasileiras ao ser informada da existência de focos de febre aftosa no Mato Grosso do Sul e no Paraná. Aos poucos, o país flexibilizou a medida em alguns estados brasileiros, mas mantém a proibição para as duas unidades da federação onde foram registrados os focos da doença e, ainda, em Minas Gerais e Santa Catarina.

Mais Sobre Mundo - Internacional

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisadores de universidades americanas sugerem que os potenciais infiéis têm um perfil: Apresentam níveis educacionais e financeiros acima da méd

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

Quem pensa que o presidente francês Emmanuel Macron foi o primeiro presidente de uma potência europeia a questionar a soberania brasileira sobre a 

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Dos 183 países integrantes da Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas 38 pesquisados pelo organismo, entre eles o Brasil, contam com uma estratégia