Porto Velho (RO) sábado, 4 de abril de 2020
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Violência na Síria matou pelo menos 32 mil pessoas


Renata Giraldi*
Agência Brasil

Brasília – A onda de violência na Síria, que dura 19 meses, provocou pelo menos 32 mil mortes, segundo a organização não governamental (ONG) Observatório Sírio dos Direitos Humanos. O presidente da organização, Rami Abdel Rahmane, disse hoje (9) que a maior parte das vítimas é civil, mas também há militares do Exército sírio e desertores.

Pelos dados divulgados por Rahmane, foram mortos 22.980 civis, 7.884 militares e 1.215 desertores, no período de março de 2011 a 7 de outubro de 2012. Os números não incluem as 141 mortes registadas hoje, segundo a organização. O pior dia, de acordo com a ONG, foi 26 de setembro, quando foram mortas 306 pessoas. Mas agosto foi o mês que registrou mais óbitos, com 5.440 vítimas.

Para Rahmane, os números ainda não correspondem à realidade, pois ambas as partes envolvidas – governo e oposição – não revelam os dados.

A crise na Síria começou a partir de manifestações, lideradas por integrantes da oposição, que exigiam a renúncia do presidente Bashar Al Assad. A situação se agravou com o uso de armamentos pesados e denúncias de violação de direitos humanos, como assassinatos, torturas e prisões indevidas.

*Com informações da agência pública de notícias de Portugal, Lusa
 

Mais Sobre Mundo - Internacional

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisadores de universidades americanas sugerem que os potenciais infiéis têm um perfil: Apresentam níveis educacionais e financeiros acima da méd

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

Quem pensa que o presidente francês Emmanuel Macron foi o primeiro presidente de uma potência europeia a questionar a soberania brasileira sobre a 

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Dos 183 países integrantes da Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas 38 pesquisados pelo organismo, entre eles o Brasil, contam com uma estratégia