Porto Velho (RO) quarta-feira, 8 de abril de 2020
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Vinda do papa Francisco é destaque na imprensa internacional


 

Gente de Opinião

Thais Leitão
Agência Brasil

Brasília – A vinda do papa Francisco ao Brasil para a Jornada Mundial da Juventude é destaque, nesta segunda-feira (22), em veículos da imprensa internacional. O pontífice deve chegar ao Rio de Janeiro, local escolhido para sediar o evento, hoje à tarde. A jornada começa amanhã (23) e vai até o próximo domingo (28).

A agência de notícias argentina Telam informou que "milhares de jovens" portenhos participarão do encontro no Rio. Eles partiram da capital Buenos Aires "com bandeiras argentinas, chimarrões e violões para amenizar as longas horas de viagem". A agência pública também informa que parte do grupo deve participar de um encontro com jovens de favelas brasileiras.

Já a agência portuguesa Lusa ressalta que o papa chega ao Brasil em um momento "em que as manifestações no maior país católico do mundo preocupam as autoridades nacionais", referindo-se aos recentes protestos no país, quando a população foi às ruas cobrar, principalmente, maior rigor no combate à corrupção e melhorias nos serviços públicos. A Lusa destaca ainda que a jornada ocorre em um período de "forte declínio no número de católicos no país" e informa que até domingo, o papa vai presidir várias celebrações, entre as quais uma missa campal que deve contar com 1,5 milhão de pessoas, vindas de todo o mundo.

Na BBC Brasil, o destaque foi a "dupla missão" que o pontífice terá pela frente: tentar conter o crescimento das denominações evangélicas pentecostais e arrebanhar fiéis afastados da Igreja Católica que, em número cada vez maior, se declaram "sem religião". Segundo a agência, a tarefa é especialmente desafiadora no Rio de Janeiro, já que "a cidade, que apresenta uma das menores proporções de católicos entre as capitais brasileiras, reflete, em maior grau, a crise por que passa o catolicismo no país".  

Em sua conta na rede social Twitter (@pontifex), o papa expressou hoje a alegria por viajar ao Rio de Janeiro para participar da jornada. "Chego ao Rio daqui a algumas horas e meu coração está cheio de alegria porque em pouco tempo estarei com vocês para celebrar a 28ª JMJ", disse.

De acordo com autoridades, são esperados 800 mil turistas para a jornada, considerado o maior encontro internacional de jovens católicos.  O ápice do evento deve ser a encenação da Via Sacra, na orla de Copacabana, na sexta-feira (26), e a missa de encerramento do evento em Guaratiba, no domingo (28). São esperadas mais de 1,5 milhão de pessoas nos eventos com o papa. A agenda do pontífice no país inclui ainda visita a comunidade pobre no Rio e ao Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, em São Paulo.

Mais de 20 mil agentes e militares vão trabalhar na defesa e na segurança pública, durante o evento, sendo que 40 homens da Polícia Federal acompanharão Francisco em todos os compromissos no Brasil. Do total de militares, cerca de 7 mil homens do Exército farão a segurança em Guaratiba, na zona oeste. No Campo da Fé (Campus Fidei), os militares não vão carregar nenhum tipo de arma, mas podem abordar e retirar quem se comportar de maneira ofensiva.

Mais Sobre Mundo - Internacional

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisadores de universidades americanas sugerem que os potenciais infiéis têm um perfil: Apresentam níveis educacionais e financeiros acima da méd

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

Quem pensa que o presidente francês Emmanuel Macron foi o primeiro presidente de uma potência europeia a questionar a soberania brasileira sobre a 

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Dos 183 países integrantes da Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas 38 pesquisados pelo organismo, entre eles o Brasil, contam com uma estratégia