Porto Velho (RO) sexta-feira, 19 de agosto de 2022
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Venezuela nega massacre de yanomamis


Renata Giraldi*
Agência Brasil

Brasília – Após uma série de investigações sobre a denúncia de massacre envolvendo 80 indígenas yanomamis, o governo da Venezuela informou ontem (2) que são improcedentes e falsas as informações. A ministra do Poder Popular para os Povos Indígenas, Nicia Maldonado, responsável pela apuração do caso, disse à emissora estatal de televisão venezuelana, VTV, que não há indícios sobre a suspeita.

"Nós podemos dizer ao país que não havia indício algum de qualquer morte ou de queima de casas, nem de massacre de yanomamis no Alto Orinoco", disse a ministra. O crime, segundo denúncias de organizações não governamentais (ONGs), ocorreu na fronteira entre o Brasil e a Venezuela.

A ministra disse ainda que seu compromisso é “agir de forma transparente e legal” na apuração de quaisquer informações envolvendo denúncias de povos indígenas. “Felizmente tudo acabou se confirmando como falso”, disse ela

Desde o dia 31, a Comissão das Forças Armadas Nacionais Bolivarianas, a Procuradoria-Geral da República, a Defensoria Pública, o Ministério dos Povos Indígenas, o Ministério das Relações Exteriores e o Corpo de Investigações Científicas, Penais e Criminais investigam as denúncias.

Na semana passada, o embaixador do Brasil na Venezuela, José Antonio Marcondes de Carvalho, encaminhou um pedido formal às autoridades para verificar o teor e a veracidade das noticias sobre o assassinato de índios yanomamis por garimpeiros brasileiros.

De acordo com a Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia (Coiam), o massacre dos indígenas ocorreu em julho deste ano, na fronteira do Brasil com a Venezuela. O Coiam divulgou um documento baseado no relato de três indígenas que dizem ter sobrevivido ao massacre.

No relato, os indígenas contam que garimpeiros cercaram a casa coletiva, dispararam contra eles e atearam fogo à casa. Segundo a coordenação, o número de mortos é incerto. O Ministério das Relações Exteriores disse que a embaixada e o consulado brasileiros em Caracas trabalham para apurar os fatos e saber o que ocorreu.

*Com informações da emissora estatal de televisão da Venezuela, VTV.
 

VOCÊ PODE GOSTAR

Missão em Israel proporciona grande experiência de fortalecimento comercial com produtos de Rondônia

Missão em Israel proporciona grande experiência de fortalecimento comercial com produtos de Rondônia

Uma missão para um país como Israel, que se reinventou superando adversidades naturais e políticas, torna-se de grande relevância estratégica para est

Em Tel Aviv, potenciais de Rondônia são apresentados para empresários em Missão Internacional do Sebrae

Em Tel Aviv, potenciais de Rondônia são apresentados para empresários em Missão Internacional do Sebrae

A Missão Internacional Israel, promovida pelo Sebrae em Rondônia deve gerar grande frutos em breve. Empreendedores rondonienses compuseram a comitiv

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Mais da metade da população europeia deve ser infectada pela variante Ômicron do coronavírus nas próximas seis a oito semanas, disse nesta terça-fei

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

Em 16 de novembro, durante uma difícil operação de busca e resgate a menos de 30 milhas náuticas da costa da Líbia no Mediterrâneo Central, a equipe