Porto Velho (RO) quarta-feira, 8 de abril de 2020
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Vale vai construir ferrovia em Moçambique


Repórter Emerson Penha
Correspondente da EBC na África

Maputo (Moçambique) - O Conselho de Ministros aprovou, em reunião na capital do país, a concessão para construção e exploração de uma linha férrea de 780 quilômetros entre as cidades de Moatize, na província de Tete, e o Porto de Nacala, em Nampula, no Oceano Índico. A obra será executada por um consórcio em que a mineradora brasileira Vale tem 80% e o governo de Moçambique, por meio da estatal CFM, 20%.

A previsão é que as obras durem três anos. Pela linha férrea serão transportadas até o Porto de Nacala, para embarque em navios, cerca de 40 milhões de toneladas de carvão por ano. A Vale é a principal mineradora em operação no país, e tem cerca de 1.400 funcionários, dos quais 40% são brasileiros, envolvidos na exploração do combustível fóssil em Tete.

O investimento total estimado é US$ 1,5 bilhão (cerca de R$ 3 bilhões). A expectativa do governo moçambicano é que, além de cargas, os trens também possam transportar passageiros, a exemplo das linhas operadas pela Vale no Brasil – Vitória-Minas e Carajás-São Luís, no Maranhão.

Com a construção da ferrovia, outro trecho será viabilizado: o ramal ferroviário entre o país vizinho Malawi e Moatize, em Moçambique. O Malawi não tem litoral e a ferrovia poderia ser uma alternativa para importação e exportação de produtos e transporte de passageiros. A Vale também já manifestou interesse na construção e operação desse trecho, com custo de implantação estimado em US$ 700 milhões.
 

Mais Sobre Mundo - Internacional

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisadores de universidades americanas sugerem que os potenciais infiéis têm um perfil: Apresentam níveis educacionais e financeiros acima da méd

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

Quem pensa que o presidente francês Emmanuel Macron foi o primeiro presidente de uma potência europeia a questionar a soberania brasileira sobre a 

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Dos 183 países integrantes da Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas 38 pesquisados pelo organismo, entre eles o Brasil, contam com uma estratégia