Porto Velho (RO) sexta-feira, 17 de agosto de 2018
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Universidades russas têm 120 vagas para brasileiros


Fadua Matuck - Agência O GloboRIO - Já pensou em estudar na Rússia? Se a resposta foi não e a justificativa foi a barreira do idioma, então já pode considerar a hipótese. Estudantes brasileiros têm até o dia 15 de janeiro para se inscrever no processo seletivo das cinco melhores universidades russas. A iniciativa é parte do programa de estudos da Associação Latino-americana Russa de Estudos Superiores (Alar), órgão representante oficial das instituições no Brasil, que já enviou mais de cem alunos para a Rússia nos últimos dois anos. Estão abertas 120 vagas para cursos de graduação e pós-graduação em ciências humanas, exatas e biológicas. Os interessados que se inscreverem até essa data podem embarcar já na última semana de março.Pelo programa da associação russa, os alunos iniciam o intercâmbio freqüentando a faculdade preparatória, para aprender o idioma local. O tempo varia de sete a dezesseis meses, dependendo da aptidão do estudante. Terminada essa etapa, é realizado um teste para o aluno, então, ingressar na faculdade que deseja.Com uma carga histórica e cultural muito grande, o país tem atraído cada vez mais estudantes de todas as idades. O baixo custo dos estudos na Rússia é um dos principais atrativos para os estudantes brasileiros. De acordo com a diretora da assosiação, Carolina Tellez, boa parte do custo da faculdade é subsidiada pelo governo russo, o que permite que as despesas sejam mais baixas em relação às de outros cursos europeus, ou mesmo de certas universidades particulares brasileiras. O domínio de uma língua que poucos conhecem é um atrativo a mais para a formação acadêmica no país.Fernando Born Volkrt, de 22 anos, estuda na Rússia desde outubro de 2005. De férias em Porto Alegre, onde sua família mora, Fernando conta que fez a faculdade preparatória de russo durante nove meses e conseguiu entrar para Medicina, onde já cursou o primeiro semestre.- O estudo lá é muito difícil. Nos fins de semana, eu nem tenho tempo de sair com os amigos. Preciso ficar estudando, repassando matéria. O curso dura seis anos e é muito puxado. Mas está valendo a pena. Depois que me formar, pretendo fazer uma pós-graduação na Europa e só então voltar para o Brasil - afirma.Já Pedro Sartori, de 21 anos, começa o curso de Física em agosto, em Moscou. Durante um ano e meio, estudou russo numa faculdade em Belgrado. De férias no interior de São Paulo, na companhia dos pais e das duas irmãs, Pedro conta que planeja ficar na Rússia depois de concluir os estudos:- Aqui no Brasil não tem campo para a Física. Acredito que lá terei mais chances - explica.É necessário fazer a validação do diploma no Brasil Ao voltar para o Brasil, basta submeter o diploma adquirido a um processo de reconhecimento em uma universidade brasileira, procedimento padrão para qualquer brasileiro que faça graduação em algum centro de ensino estrangeiro. A partir de 2010, os diplomas das universidades russas passarão a ser reconhecidos em toda União Européia (o chamado Diploma Único de Estudos Superiores da Europa). Fazem parte do programa instituições de referência como a Universidade estatal de Bélgorod (30 vagas), com a melhor infra-estrutura do país, a Universidade Aeroespacial de Moscou (10 vagas), o mais avançado centro de estudos e pesquisas em aviação e ciências espaciais da Rússia, e a Academia Médica Sechenov (30 vagas), uma das melhores faculdades de medicina do mundo, segundo o ranking da UNESCO.Além delas, o aluno ainda pode escolher pela Universidade da Amizade dos Povos (30 vagas), que recebe centenas de estudantes de diversos países semestralmente, e a Universidade Estatal de Moscou Lomonosov (20 vagas), considerada a melhor do país, com cerca de três séculos de tradição.SAIBA COMO É O PROCESSO SELETIVO PARA ESTUDAR NA RÚSSIAEmbora não seja aplicado um teste tradicional como o vestibular brasileiro, o interessado em estudar na Rússia passa por um processo seletivo avaliado pela universidade de sua escolha e administrado pela Associação Latino-americana Russa de Estudos Superiores. Depois do primeiro contato com a associação, o estudante passa por uma avaliação que inclui, entre diversos processos, reunião com os pais, análise de histórico escolar, exames de saúde, exames toxicológicos e checagem de antecedentes criminais, para garantir que o aluno se encaixe no perfil da universidade.A associação acompanha os brasileiros durante todo o processo. A diretora da assosiação, Carolina Tellez, faz ela mesma a seleção dos candidatos, os orienta na escolha da faculdade, organiza a documentação dos alunos para expedição da passagem e inscrição na universidade escolhida, coordena a distribuição dos alojamentos, e os assessora durante toda a viagem.Os interessados devem procurar a Associação Russa até o dia 15 de janeiro para dar início ao processo de seleção do embarque de março de 2007. Os inscritos depois dessa data irão compor as turmas de julho. Para mais informações: www.universidades-russia.com.br ou pelo telefone (11) 5505-5898.

Mais Sobre Mundo - Internacional

Morre aos 76 anos Aretha Franklin, a "rainha do soul"

Morre aos 76 anos Aretha Franklin, a "rainha do soul"

 A cantora norte-americana Aretha Franklin, de 76 anos, morreu hoje (16), em casa, em Detroit, nos Estados Unidos. A informação foi confirmada por Gwe

Mais de 300 jornais norte-americanos se unem contra Trump

Mais de 300 jornais norte-americanos se unem contra Trump

Mais de 300 jornais dos Estados Unidos, entre eles o The New York Times, Dallas Morning News, o The Denver Post, o The Philadelphia Inquirer e o Chica

Turquia dobra tarifas sobre alguns produtos dos EUA; lira se recupera

Turquia dobra tarifas sobre alguns produtos dos EUA; lira se recupera

Um decreto assinado pelo presidente Tayyip Erdogan dobrou as tarifas turcas de carros de passageiros para 120¨%, de bebidas alcoólicas para 140% e de

Imigrantes italianos. Quando os refugiados eram eles -  Por: Equipe Oásis

Imigrantes italianos. Quando os refugiados eram eles - Por: Equipe Oásis

A partir de 1861, cerca de 30 milhões de italianos emigraram em busca da sorte no estrangeiro. Deles, boa parte veio para o Brasil.