Porto Velho (RO) quarta-feira, 8 de abril de 2020
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Um dos desafios no Peru é o enfrentamento do narcotráfico



Renata Giraldi*
Agência Brasil


Brasília – Com cerca de 29,1 milhões de habitantes, o Peru tem como desafios a redução da pobreza, a melhoria da qualidade de vida dos trabalhadores e ações efetivas de combate ao narcotráfico. O país é o segundo maior produtor do mundo de cocaína depois da Colômbia. Há estimativas indicando que o narcotráfico representa de 2,5% a 6% do Produto Interno Bruto (PIB). O Brasil e o Peru mantêm um acordo de cooperação na tentativa de conter a ação de traficantes.

Especialistas afirmam que ocorre um momento de deslocamento das rotas do tráfico por meio da fronteira da cocaína. Estudos mostram que o cultivo da folha de coca na América do Sul se concentra principalmente na Colômbia, no Peru e na Bolívia. De acordo com os dados, quando o cerco se fecha em um destes países, a rota segue em direção à outra região.

Pelos dados da Organização das Nações Unidas (ONU), as áreas cultivadas com folha de coca aumentam gradativamente no Peru. Só em 2010 aumentou em 7%. Para a socióloga Cynthia Sanborn, a questão do tráfico foi menosprezada pelos candidatos à Presidência do Peru.

Sanborn levanta suspeitas sobre a presença de dinheiro do tráfico de drogas nas campanhas presidenciais. "Os dois [Ollanta Humala e Keiko Fujimori] têm colegas de legenda e financiadores de campanha acusados de serem traficantes ou lucrarem, ainda que indiretamente, com as drogas", afirmou.

*Com informações da agência pública de notícias de Portugal, a Lusa, e a BBC Brasil.

 

Mais Sobre Mundo - Internacional

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisadores de universidades americanas sugerem que os potenciais infiéis têm um perfil: Apresentam níveis educacionais e financeiros acima da méd

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

Quem pensa que o presidente francês Emmanuel Macron foi o primeiro presidente de uma potência europeia a questionar a soberania brasileira sobre a 

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Dos 183 países integrantes da Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas 38 pesquisados pelo organismo, entre eles o Brasil, contam com uma estratégia