Porto Velho (RO) quarta-feira, 29 de junho de 2022
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

TV argentina debaterá eleição brasileira, no momento-chave para América do Sul




Luiz Antônio Alves
Correspondente da Agência Brasil na Argentina

Buenos Aires - A imprensa argentina acompanha atentamente as eleições no Brasil, principalmente as emissoras de televisão. O canal C5N está mostrando a votação desde o instante em que as urnas foram colocadas à disposição dos eleitores brasileiros e apresenta flashes ao vivo dentro de sua programação. Às 21 horas, a emissora apresentará programa especial com a presença de analistas políticos para debateram o que é considerado um momento-chave para a América do Sul. Pela manhã, a emissora mostrou, ao vivo, a chegada do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para votar, em São Bernardo do Campo, e o pronunciamento que fez logo depois.

O jornal El Clarin diz que o Brasil elegerá hoje o sucessor do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, "o mandatário mais popular em toda a história do país", que conclui mandato iniciado em 2002 e que, pela primeira vez nos últimos 21 anos, não está entre os candidatos. O jornal argentino afirma que, de acordo com as últimas pesquisas, é possível que a eleição para presidente da República seja definida em segundo turno entre os dois candidatos com maior número de intenção de voto. O jornal também apresenta reportagem especial sobre as eleições no Rio de Janeiro.

O La Nación destaca que o Brasil vai às urnas em clima de grande expectativa, uma vez que apesar da previsão de vitória da candidata oficial ainda há dúvidas sobre a provável realização de um segundo turno. Uma reportagem especial diz que a campanha eleitoral no Brasil foi "civilizada". O jornal Pagina 12, por sua vez, relata que uma grande tensão no país diante da possibilidade de um segundo turno na eleição presidencial.

Especializado em assuntos econômicos, o jornal El Cronista Comercial diz em manchete que o Brasil está optando hoje entre a continuidade ou a troca das políticas desenvolvidas pelo atual governo, especialmente na área social que, "seguramente, marca a administração que termina no dia 1 de janeiro".

Mais Sobre Mundo - Internacional

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Mais da metade da população europeia deve ser infectada pela variante Ômicron do coronavírus nas próximas seis a oito semanas, disse nesta terça-fei

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

Em 16 de novembro, durante uma difícil operação de busca e resgate a menos de 30 milhas náuticas da costa da Líbia no Mediterrâneo Central, a equipe

Com avanço nas Américas, Delta é "altamente preocupante", diz Organização Pan-Americana de Saúde

Com avanço nas Américas, Delta é "altamente preocupante", diz Organização Pan-Americana de Saúde

A variante Delta do novo coronavírus é "altamente preocupante", à medida que a mutação tem se espalhado para quase 20 países nas Américas, disseram