Porto Velho (RO) quarta-feira, 23 de maio de 2018
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Trump admite: Rússia está por trás da invasão de hackers



José Romildo - Correspondente da Agência Brasil

A pouco mais de uma semana de sua posse como novo presidente dos Estados Unidos, o bilionário Donald Trump admitiu, pela primeira vez, que a Rússia está por trás da invasão dos computadores do Comitê Eleitoral do Partido Democrata por “hackers”, durante a campanha presidencial.

Ele também afirmou que pretende iniciar imediatamente a construção de um muro separando o México dos EUA e que o país vizinho vai "reembolsar" os custos com a obra. "Eu não quero esperar um ano e meio até que eu faça o meu acordo com o México", disse, ao comentar sobre a possível data do reembolso, explicando que o pagamento será feito provavelmente através de um "imposto" e não pela quitação em dinheiro.

Tensão e ação de hackers

Um momento de tensão, durante a entrevista, foi quando Trump se negou a responder à pergunta de um jornalista da rede de televisão CNN. "Sua organização é terrível. Quieto. Calma. Não seja rude", disse Trump ao repórter.

Na primeira entrevista desde que ganhou as eleições, transmitida ao vivo em rede nacional de televisão do seu escritório na Trump Tower, no centro de Nova York, o magnata considerou um "absurdo" as alegações, segundo ele infundadas, de que a Rússia tem informações pessoais e financeiras comprometedoras sobre ele. "Isso é algo que a Alemanha nazista teria feito", destacou.

Entretanto, ao admitir que houve espionagem nos computadores do Comitê Eleitoral Democrata, ele disse que não apenas a Rússia, mas também outros países fizeram ações similares. "No que diz respeito à pirataria, acho que foi a Rússia, mas também acho que fomos atacados por outros países, outras pessoas", disse Trump, citando um suposto hackeamento (invasão de computadores) feito pela China.

No final de agosto de 2015, o Comitê Nacional Democrata e a empresa de cibersegurança contratada para investigar o caso anunciaram que houve uma violação em seus computadores feita por dois grupos de ciberespionagem. Segundo a CNN, um deles conseguiu entrar no sistema do comitê do partido um ano antes da divulgação do fato e monitorou as comunicações internas, incluindo as contas de e-mail. Outro grupo entrou no sistema com um alvo apenas: a pesquisa dos democratas sobre o rival republicano Donald Trump.

Obamacare

Trump também fez duras críticas ao Obamacare, programa lançado pelo presidente Barack Obama que expande a assistência médica para pessoas de baixo poder aquisitivo. Segundo ele, o "Obamacare é um completo e total desastre", afirmando que no novo governo, "haverá cuidados na área de saúde", mas não deu detalhas sobre como isso será feito. Ele acrescentou que o sistema Obamacare aumentou os prêmios dos planos de saúde e as franquias também ficaram mais altas.

Edição: Augusto Queiroz

Mais Sobre Mundo - Internacional

Trump manda enviado ao Brasil para tratar de Venezuela

Trump manda enviado ao Brasil para tratar de Venezuela

A crise humanitária da Venezuela levou à saída em massa de venezuelanos para países vizinhos (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Facebook remove 2,5 milhões de posts com discurso de ódio em 6 meses

 O Facebook retirou do ar 2,5 milhões de publicações que foram identificadas como contendo discurso de ódio no primeiro semestre do ano. A informação

Venezuela deve enfrentar inflação de 13.000% este ano

Dona das maiores reservas mundiais de petróleo, a Venezuela tem visto a sua economia encolher durante o mandato do presidente Nicolás Maduro.

Nicolás Maduro é reeleito presidente da Venezuela

Nicolás Maduro é reeleito presidente da Venezuela

"Uma vitória da paz e da democracia", disse Maduro, que no discurso feito em seguida à proclamação dos resultados, anunciou que convoca um encontro de