Porto Velho (RO) quarta-feira, 10 de agosto de 2022
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Seca em Barcelona leva governo a importar água




A seca que afeta a Espanha levou o governo de Barcelona a importar água para abastecer a população de 3,2 milhões de habitantes da cidade.

O primeiro navio-cisterna, carregado com 19 milhões de litros de água potável, chegou à cidade na terça-feira.

O volume é suficiente para o consumo diário de 170 mil pessoas. Por isso, o governo já contratou outras 63 viagens.

O consumo diário em Barcelona é calculado em 293 milhões de litros por dia. Com as reservas municipais abaixo de 25%, a solução foi apelar para a água alheia.

A água sai do Rio Ebro, da cidade vizinha de Tarragona. Mas haverá retiradas também de Almería (no sul do país) e da fronteiriça Marselha (no sul da França), pagas pelo governo nacional até agosto.

Segundo o governo, serão gastos 22 milhões de euros (cerca de R$ 57 milhões) por mês no transporte de água.

Antes de chegar aos consumidores, a água passa por quatro controles sanitários.

Trens

O Ministério do Meio Ambiente afirma que comprar "excedentes" de outros lugares sai mais barato do que qualquer outro sistema.

A usina de Carboneras, em Almería, a maior dessalinizadora da Europa (que transforma água do mar em água potável), gera 120 milhões de litros por dia.

Mas esse processo custa 0,5 euro (cerca de R$ 1,30) por metro cúbico. E a usina produz em dois dias e meio o que a cidade de Barcelona consome em apenas 24 horas.

O acordo de transporte de água potável poderá ser ampliado também para as vias ferroviárias.

"Para acabar com essa seca, faremos o que for necessário", disse o secretário de Meio Ambiente de Barcelona, Francesc Baltasar. "Estamos analisando custos de transporte ferroviário."

Críticas

A solução para a falta de água em Barcelona, porém, atraiu algumas críticas.

Outras províncias (Estados) também afetadas pela seca, como Valência e Múrcia, entraram na Justiça em abril reclamando os mesmos direitos.

Também no mês passado, trabalhadores de regiões banhadas pelo Rio Ebro fizeram uma manifestação com 300 mil pessoas em Barcelona e criaram um fórum contra a retirada de água.

Segundo o comunicado da plataforma Coordenação de Atingidos, a retirada da água dos rios é "um exemplo de má gestão e fomento de uso descontrolado" de água.

Os trabalhadores receberam o apoio de ONGs ambientailistas, como a WWWF/Adena, que considera grave tirar a água de seu espaço natural.

"Esse método de levar 189 hectômetros cúbicos por ano terá impactos diretos e indiretos sobre toda a região hidrográfica do Rio Ebro", disse à BBC Brasil o responsável pela área de águas da WWWF/Adena, Guido Schmidt.

"A perda de aportes de água e de sólidos como terra, areia e pedras provocará seu desaparecimento", acrescentou Schmidt.

"Mesmo que esses elementos sólidos sejam somente 1% agora, o rio precisa deles para sobreviver. O mais lógico é que o Ebro desapareça no mar", completou.

Apesar das críticas, o transporte de água por barcos deverá continuar nas próximas semanas. O plano do governo é fazer dois carregamentos a cada três dias até agosto.

Fonte: BBC Brasil

Mais Sobre Mundo - Internacional

Missão em Israel proporciona grande experiência de fortalecimento comercial com produtos de Rondônia

Missão em Israel proporciona grande experiência de fortalecimento comercial com produtos de Rondônia

Uma missão para um país como Israel, que se reinventou superando adversidades naturais e políticas, torna-se de grande relevância estratégica para est

Em Tel Aviv, potenciais de Rondônia são apresentados para empresários em Missão Internacional do Sebrae

Em Tel Aviv, potenciais de Rondônia são apresentados para empresários em Missão Internacional do Sebrae

A Missão Internacional Israel, promovida pelo Sebrae em Rondônia deve gerar grande frutos em breve. Empreendedores rondonienses compuseram a comitiv

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Mais da metade da população europeia deve ser infectada pela variante Ômicron do coronavírus nas próximas seis a oito semanas, disse nesta terça-fei

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

Em 16 de novembro, durante uma difícil operação de busca e resgate a menos de 30 milhas náuticas da costa da Líbia no Mediterrâneo Central, a equipe