Porto Velho (RO) domingo, 24 de março de 2019
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Relatório do Banco Mundial mostra que Brasil é pior que a Albânia para fazer negócios


Agência O GloboRIO - O Brasil é o sétimo pior país da América Latina e Caribe para empresas fazerem negócios, segundo levantamento feito pelo Banco Mundial (Bird) e pela Corporação Financeira Internacional (IFC, na sigla em inglês), o braço da instituição que financia projetos do setor privado. Num ranking que classifica os ambientes de negócios dos 175 países pesquisados de acordo com vários critérios, o Brasil ficou em 121º lugar, atrás da Albânia.Os dez melhores países do mundo para negócios, segundo o relatório, são, pela ordem, Cingapura, Nova Zelândia, Estados Unidos, Canadá, Hong-Kong, Reino Unido, Dinamarca, Austrália, Noruega e Irlanda. O pior, diz o estudo, é o Congo.Segundo o relatório, chamado "Fazendo Negócios 2007: Como Reformar", na América Latina e Caribe, o Brasil fica à frente apenas de Suriname (122º), Equador (123º), Bolívia (131º), Guiana (136º), Haiti (139º) e Venezuela (164º). Os mais bem colocados na região são Chile (28º), México (43º) e Uruguai (64º).Em relação à posição no relatório anterior, o Brasil subiu uma posição (antes estava em 122º).Segundo o Banco Mundial, o Brasil tem sido muito lento ao promover as reformas necessárias para facilitar a abertura de novos negócios no país e eliminar barreiras que atrapalham as empresas. O documento mostra que outros países em desenvolvimento têm se esforçado muito mais para criar ambientes favoráveis aos empreendedores.O Banco Mundial avalia que fazer negócios tornou-se mais fácil na maioria dos países latino-americanos. Vinte e sete reformas reguladoras - em 13 economias da região- reduziram o tempo, o custo e a burocracia para as empresas cumprirem as exigências legais e administrativas. Apesar disso, outras regiões estão melhorando mais rapidamente, com a implantação de reformas que ajudam o comércio. No ano passado, a América Latina ficou em terceiro lugar na classificação regional de reformas. No relatório deste ano, a região encontra-se em quinto lugar, à frente do Sul e do Leste da Ásia, mas atrás dos países do Leste Europeu, da OCDE (grupo de 30 países, que inclui potências econômicas e outras nações agregadas), do Oriente Médio e da África do Baixo Saara.As classificações seguem os indicadores de tempo e de custo para atender às exigências do governo para abrir uma empresa, seu funcionamento, comércio, tributação e fechamento. Não seguem variáveis tais como políticas macroeconômicas, qualidade de infra-estrutura, oscilação da moeda, percepções dos investidores ou índices de criminalidade.O relatório cita as reformas feitas pelos países no período analisado. O Brasil tem apenas um item registrado: melhorou a eficiência nos tribunais ao limitar recursos sem importância e simplificar a execução de julgamentos.Conforme o documento, o México, o país com o maior número de reformas na região, fortaleceu a proteção dos investidores com uma nova lei de valores mobiliários que aumenta o escrutínio de negociações com uso de informações privilegiadas. Além disso, diminuiu o tempo de abrir uma empresa de 58 dias para 27 e reduziu o imposto de renda de pessoas jurídicas de 33% em 2004 para 30% em 2005 e 29% em 2006.

Mais Sobre Mundo - Internacional

Terrorismo: Ataques a duas mesquitas na Nova Zelândia deixam mortos e feridos

Terrorismo: Ataques a duas mesquitas na Nova Zelândia deixam mortos e feridos

Ataques simultâneos a duas mesquitas na cidade de Christchurch, no sul da Nova Zelândia, deixaram pelo menos 49 mortos e 48 feridos. Autoridades class

Bolsanaro inaugura sistema de telecomunicações operado pela Oi na estação brasileira na Antártica

Bolsanaro inaugura sistema de telecomunicações operado pela Oi na estação brasileira na Antártica

Em cerimônia realizada no Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro inaugurou hoje os novos serviços de telecomunicações da Estação Antár

Morre aos 74 anos o Fundador e Presidente da Associação Casa Família Rosetta, Padre Vincenzo Sorce.

Morre aos 74 anos o Fundador e Presidente da Associação Casa Família Rosetta, Padre Vincenzo Sorce.

A Associação Casa Família Rosetta comunica e manifesta o mais profundo pesar pelo falecimento do Fundador e presidente, Padre Vincenzo Sorce. Vincen

Venezuela: Guaidó e Duque apelam a militares venezuelanos: “fiquem do lado certo"

Venezuela: Guaidó e Duque apelam a militares venezuelanos: “fiquem do lado certo"

Quatro militares fieis a Maduro teriam desertado as Forças Armadas