Porto Velho (RO) sexta-feira, 19 de agosto de 2022
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

ONU: objetivo na Síria é cessar confrontos


Renata Giraldi*
Agência Brasil

Brasília – Nomeado recentemente como enviado especial da Organização das Nações Unidas (ONU) e da Liga Árabe à Síria, o argelino Lakhdar Brahimi disse que seus esforços serão para cessar os confrontos no país e não apenas evitá-los. "Uma guerra civil é a forma de conflito mais cruel, quando um vizinho mata o seu vizinho e, por vezes, o irmão, é o pior dos conflitos”, disse Brahimi, há quatro dias no cargo.

"Há muitas pessoas que dizem que é necessário evitar a guerra civil na Síria. Na minha opinião, já estamos nessa situação há algum tempo. O que é preciso é pôr fim e isso não vai ser fácil”.

Há 17 meses, a Síria vive sob clima de guerra, pois integrantes da oposição e do governo do presidente sírio, Bashar Al Assad, enfrentam-se nas principais cidades do país. A oposição exige a renúncia de Assad e o fim das violações aos direitos humanos. Assad reage com repressão. Mais de 20 mil pessoas morreram nesse período, segundo organizações não governamentais (ONGs).

“[Na Síria] a mudança é inevitável, uma mudança séria, uma mudança fundamental, não cosmética. É necessário que as aspirações do povo sírio sejam satisfeitas”, disse Brahimi, evitando usar a palavra renúncia em relação a Assad.

Brahimi, de 78 anos, foi nomeado no dia 16 o novo mediador dos conflitos em substituição a Kofi Annan, que avisou que não permaneceria no cargo. A nomeação ocorreu um dia depois de o Conselho de Segurança das Nações Unidas decidir acabar com a missão de observadores da ONU na Síria, que era encarregada de fiscalizar um cessar-fogo que não ocorreu.

Pelas primeiras informações de hoje (20), foram registrados combates entre as forças do governo e da oposição em Assali e Qadam, no Sul da Síria. Ontem (19), pelo menos 84 pessoas morreram no país, a maioria civis, segundo a ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos. Os conflitos ocorreram poucas horas depois de os últimos observadores da ONU deixarem o país. Foram enviados 300 observadores para a Síria.

*Com informações da agência pública de notícias de Portugal, Lusa.
 

VOCÊ PODE GOSTAR

Missão em Israel proporciona grande experiência de fortalecimento comercial com produtos de Rondônia

Missão em Israel proporciona grande experiência de fortalecimento comercial com produtos de Rondônia

Uma missão para um país como Israel, que se reinventou superando adversidades naturais e políticas, torna-se de grande relevância estratégica para est

Em Tel Aviv, potenciais de Rondônia são apresentados para empresários em Missão Internacional do Sebrae

Em Tel Aviv, potenciais de Rondônia são apresentados para empresários em Missão Internacional do Sebrae

A Missão Internacional Israel, promovida pelo Sebrae em Rondônia deve gerar grande frutos em breve. Empreendedores rondonienses compuseram a comitiv

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Mais da metade da população europeia deve ser infectada pela variante Ômicron do coronavírus nas próximas seis a oito semanas, disse nesta terça-fei

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

Em 16 de novembro, durante uma difícil operação de busca e resgate a menos de 30 milhas náuticas da costa da Líbia no Mediterrâneo Central, a equipe