Porto Velho (RO) terça-feira, 31 de março de 2020
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Onda de calor matou mais de 2 mil pessoas na Índia



Da Agência Lusa

A onda de calor que há várias semanas atinge a Índia provocou a morte de mais de 2 mil pessoas, informou hoje (30) o governo o governo indiano. Os estados de Andhra Pradesh e de Telangana, no sul do país, são os mais afetados pelo calor.

Nos dois estados foram registradas 1.979 mortes atribuídas ao calor. No estado de Orissa houve 17 mortes. Mais nove foram registradas em outros estados, elevando o total de vítimas para 2.005.

Em Andhra Pradesh e Telangana, as autoridades lançaram campanhas de informação para ajudar os mais vulneráveis a enfrentarem o calor. A principal orientação é para o consumo de água e evitar exposição ao sol.

O órgão indiano responsável pela gestão de catástrofes naturais em Telangana, informou que as temperaturas já diminuíram “ligeiramente” e não foram registradas mortes atribuídas a onda depois da última quinta-feira (28). Ao todo, morreram na região 489 pessoas.

Hoje, as temperaturas máximas rondaram os 45 graus e os meteorologistas em Nova Deli advertiram que as altas temperaturas podem continuar em vários estados na próxima semana.

Mais Sobre Mundo - Internacional

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisadores de universidades americanas sugerem que os potenciais infiéis têm um perfil: Apresentam níveis educacionais e financeiros acima da méd

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

Quem pensa que o presidente francês Emmanuel Macron foi o primeiro presidente de uma potência europeia a questionar a soberania brasileira sobre a 

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Dos 183 países integrantes da Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas 38 pesquisados pelo organismo, entre eles o Brasil, contam com uma estratégia