Porto Velho (RO) sexta-feira, 3 de abril de 2020
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Nikon vai demitir 1.000 funcionários



O grupo japonês Nikon anunciou que vai reduzir o número de funcionários em 1.000, com pelo menos 200 demissões no exterior, como parte de uma reorganização que pretende economizar 84 milhões de dólares."Desde o outono (hemisfério norte), nosso cenário de negócios se degradou, o que nos obrigou a reduzir nossos gastos e a revisar nossos projetos de investimento", explica a empresa em um comunicado.

As empresas do grupo nas áreas de instrumentos de precisão e semicondutores foram particularmente afetadas.

Com isto, a empresa japonesa decidiu reunir em duas entidades distintas quatro filiais de produção de instrumentos de precisão e circuitos integrados no Japão.

Dos 2.900 postos de trabalho nestas empresas, 800 serão suprimidos.

Em um tentativa de racionalizar as estruturas de venda dos instrumentos na Europa e América do Norte, unificará os dois departamentos. Também está prevista a reorganização das estruturas de distribuição na Ásia.

A Nikon foi afetada pela redução da demanda. No início do mês previu um prejuízo de 181 milhões de dólares para o ano fiscal 2009-2010.

Fonte: AFP

Mais Sobre Mundo - Internacional

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisadores de universidades americanas sugerem que os potenciais infiéis têm um perfil: Apresentam níveis educacionais e financeiros acima da méd

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

Quem pensa que o presidente francês Emmanuel Macron foi o primeiro presidente de uma potência europeia a questionar a soberania brasileira sobre a 

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Dos 183 países integrantes da Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas 38 pesquisados pelo organismo, entre eles o Brasil, contam com uma estratégia