Porto Velho (RO) segunda-feira, 8 de agosto de 2022
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Morales é vaiado no Dia da Independência da Bolívia


O líder indígena Evo Morales foi vaiado na segunda-feira pela primeira vez desde que chegou à Presidência da Bolívia, há um ano e meio.

Morales ouviu os apupos ao deixar a Casa da Liberdade, em Sucre (sul), local histórico onde acabara de pronunciar um discurso-informe de quase quatro horas ao Congresso, como ato central das celebrações do Dia da Independência, segundo rádios locais.

"Fora, lhamas! Fora, índios", gritaram dezenas de manifestantes enquanto o presidente, que segundo recentes pesquisas tem popularidade nacional superior a 60 por cento, saía de carro, em vez de encabeçar o tradicional desfile cívico-militar.

Em seguida, Morales cancelou sua participação numa sessão de gala da Assembléia Constituinte, que também funciona em Sucre. Desculpou-se numa carta em que pediu aos constituintes que saibam "interpretar este tempo de mudança democrática e pacífica e projetá-lo na futura Carta Magna".

A rádio Erbol disse que a polícia chegou a deter várias pessoas que vaiavam Morales e exigiam a transferência de todos os Poderes públicos de La Paz para Sucre, cidade que desde o século 19 tem o título oficial de capital da Bolívia, embora o Executivo e o Legislativo funcionem em La Paz.

A disputa para ser sede do governo ameaça inclusive bloquear as decisões da Constituinte. Morales, que não tomou partido, diz que a disputa é mais uma tentativa de setores radicais de direita para desgastar seu governo, que enfrenta também protestos de grupos cívicos e empresariais e obstruções parlamentares.

Em sua mensagem ao Congresso, Morales prometeu aprofundar as mudanças políticas e econômicas para tirar a Bolívia da pobreza, reafirmou seus princípios "antiimperalistas" e "anti-neoliberais" e garantiu governar para todos os setores do país, o mais pobre da América do Sul.

"Posso me equivocar, mas trair jamais, e vamos continuar esse compromisso de mudança. Jamais vamos retroceder para acabar as políticas do colonialismo, do neoliberalismo e do imperialismo", disse ele na sessão, precedida por choques isolados entre policiais e manifestantes.

Ele insistiu que a recuperação do controle estatal sobre os recursos naturais é a base do seu programa e agradeceu "às riquezas que a mãe-terra continua dando depois de semelhante saque na colonização, na república e em tantas guerras causadas por transnacionais".

Morales destacou os êxitos da nacionalização dos hidrocarbonetos, resumidos por ele na cifra de 2 bilhões de dólares que o Estado deve arrecadar neste ano no setor, em comparação aos 300 milhões de 2005, e prometeu consolidar o controle estatal sobre a mineração.

Mas assegurou que as empresas privadas nacionais e estrangeiras têm garantias para desenvolver seu trabalho, "sempre que cumpra as leis e paguem os impostos com transparência".

Morales reafirmou também sua decisão de acelerar a chamada "revolução agrária", que prevê a entrega ao Estado de latifúndios improdutivos de áreas amazônicas para sua distribuição a camponeses pobres, junto com uma agressiva mecanização rural financiada em parte com doações venezuelanas.
Fonte:  REUTERS  

Mais Sobre Mundo - Internacional

Missão em Israel proporciona grande experiência de fortalecimento comercial com produtos de Rondônia

Missão em Israel proporciona grande experiência de fortalecimento comercial com produtos de Rondônia

Uma missão para um país como Israel, que se reinventou superando adversidades naturais e políticas, torna-se de grande relevância estratégica para est

Em Tel Aviv, potenciais de Rondônia são apresentados para empresários em Missão Internacional do Sebrae

Em Tel Aviv, potenciais de Rondônia são apresentados para empresários em Missão Internacional do Sebrae

A Missão Internacional Israel, promovida pelo Sebrae em Rondônia deve gerar grande frutos em breve. Empreendedores rondonienses compuseram a comitiv

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Mais da metade da população europeia deve ser infectada pela variante Ômicron do coronavírus nas próximas seis a oito semanas, disse nesta terça-fei

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

Em 16 de novembro, durante uma difícil operação de busca e resgate a menos de 30 milhas náuticas da costa da Líbia no Mediterrâneo Central, a equipe