Porto Velho (RO) segunda-feira, 15 de agosto de 2022
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Montadora Toyota amarga pior perda em 71 anos


 
A Toyota, o maior fabricante de carros do Japão, anunciou nesta segunda-feira que atravessa sua pior crise dos últimos 71 anos e deverá ter perdas no valor de 150 bilhões de ienes (cerca de US$ 1,7 bilhão) até o final do ano fiscal, que termina em março de 2009, por conta da situação econômica global.

BBC Brasil


“A situação que vivemos é cada vez mais complicada e difícil”, afirmou o presidente da empresa, Katsuaki Watanabe, à imprensa japonesa. “É uma situação de urgência sem precedentes”, emendou.

Se as previsões da Toyota estiverem corretas, esta será a primeira vez, desde 1940, que as contas da empresa ficarão no vermelho.

No entanto, apesar das perdas na atividade de venda de veículos, a Toyota prevê um lucro líquido de 50 bilhões de ienes (US$ 556 milhões) neste ano fiscal. O valor representa 91% a menos do que o previsto no primeiro semestre deste ano.

Como comparação, em 2007, a empresa teve 2,27 trilhões de ienes (perto de US$ 25,2 bilhões) de lucro por operações e 1,72 trilhão de ienes (US$ 16,4 bilhões) de lucro líquido.

A forte valorização do iene frente ao dólar e ao euro, além das quedas consecutivas nas exportações, foram os principais responsáveis pelo impacto negativo nas contas da mega-indústria.


Queda nas vendas

Mas não é só a Toyota que vive um pesadelo. As principais fabricantes de veículos japonesas sofrem com a crise. Segundo a Associação de Fabricantes de Automóveis do Japão (JAMA, na sigla em inglês), as vendas de veículos novos no país deverão cair mais ainda em 2009.

A expectativa é de que o número chegue a 4,86 milhões de unidades, ficando abaixo dos 5 milhões pela primeira vez desde 1978.

A JAMA calcula que a redução das vendas de carros de passeio, caminhões, ônibus e miniveículos em 2009 marcará o quinto ano consecutivo de queda.

Este será, talvez, o nível mais baixo dos últimos 31 anos. “O panorama de vendas para o ano que vem é sombrio”, lamenta o presidente da JAMA, Satoshi Aoki, citado pela agência de notícias Kyodo.


Queda nas exportações

Além da indústria automotiva, outros setores também amargam perdas no Japão. Em novembro, o país registrou um novo déficit na balança comercial no valor de 223 bilhões de ienes (US$ 2,4 bilhões).

Este foi o segundo mês consecutivo de déficit, gerado por causa da violenta queda nas exportações para Estados Unidos, Europa e China, informou o Ministério das Finanças.

As exportações caíram 26,7% em novembro na comparação anual. Segundo o relatório, foi uma das piores baixas já registradas. Já as importações recuaram 14,4%.

Nos últimos anos o Japão vinha registrando superávit na balança comercial. Porém, em 2008, por causa da crise econômica, o país já registrou déficit comercial em janeiro, em agosto e agora em outubro.

Fonte: BBC Brasil

Mais Sobre Mundo - Internacional

Missão em Israel proporciona grande experiência de fortalecimento comercial com produtos de Rondônia

Missão em Israel proporciona grande experiência de fortalecimento comercial com produtos de Rondônia

Uma missão para um país como Israel, que se reinventou superando adversidades naturais e políticas, torna-se de grande relevância estratégica para est

Em Tel Aviv, potenciais de Rondônia são apresentados para empresários em Missão Internacional do Sebrae

Em Tel Aviv, potenciais de Rondônia são apresentados para empresários em Missão Internacional do Sebrae

A Missão Internacional Israel, promovida pelo Sebrae em Rondônia deve gerar grande frutos em breve. Empreendedores rondonienses compuseram a comitiv

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Mais da metade da população europeia deve ser infectada pela variante Ômicron do coronavírus nas próximas seis a oito semanas, disse nesta terça-fei

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

Em 16 de novembro, durante uma difícil operação de busca e resgate a menos de 30 milhas náuticas da costa da Líbia no Mediterrâneo Central, a equipe