Porto Velho (RO) segunda-feira, 6 de abril de 2020
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Menino de P.Velho furou bloqueio e ganhou bênção do papa



O menino que furou o bloqueio e chegou perto do papa Bento XVI é brasileiro. O nome dele é Marcos Afonso, tem 7 anos e mora em Porto Velho, Rondônia. O garoto chegou na sexta-feira (4) da Itália, onde estava com os pais, e foi recebido como um pequeno herói.

O menino atrapalhou o protocolo das cerimônias papais na quarta-feira (2), ao correr subitamente na direção de Bento XVI em sua tribuna durante uma audiência semanal.

A criança, segundo testemunhas, se apresentou diante do pontífice quando as delegações de peregrinos de língua portuguesa que assistiam à cerimônia na sala Paulo VI eram anunciadas.

Cerca de 3 mil pessoas participavam da audiência, segundo o Vaticano. Bento XVI sorriu para o menino, vestido com um casaco de listras amarelas e negras, e trocou algumas palavras com ele antes de dar-lhe a bênção.

A cena provocou risos e aplausos dos peregrinos, que viram quando o monsenhor Georg G¤nswein, secretário do papa, percebeu a movimentação e com um gesto discreto para as forças de segurança permitiu que ele fosse até Bento XVI.

Fonte: G1

Mais Sobre Mundo - Internacional

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisadores de universidades americanas sugerem que os potenciais infiéis têm um perfil: Apresentam níveis educacionais e financeiros acima da méd

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

Quem pensa que o presidente francês Emmanuel Macron foi o primeiro presidente de uma potência europeia a questionar a soberania brasileira sobre a 

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Dos 183 países integrantes da Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas 38 pesquisados pelo organismo, entre eles o Brasil, contam com uma estratégia