Porto Velho (RO) sexta-feira, 22 de junho de 2018
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Maior central sindical da história é criada em Viena


Agência O GloboVIENA - Mais de trezentas organizações sindicais fundaram, nesta quarta-feira em Viena, a maior central sindical da história, com o objetivo de superar as divisões do passado e unidas enfrentar os desafios da globalização.Assim foi fundada a Confederação Sindical Internacional (CSI), com a participação de quase 1.700 delegados, comprometidos com a globalização da luta pelos direitos dos trabalhadores em todo o planeta, em uma resposta à globalização do capital.- Com plena consciência da transcendência histórica deste dia, declaramos fundada a CSI com 306 centrais sindicais nacionais de 154 países que representam 168 milhões de trabalhadores - disse Leroy Trotman, presidente do Grupo de Trabalhadores da Organização Internacional do Trabalho (OIT).Nessas circunstâncias, nasceu a maior central sindical do mundo e da história, no primeiro dia de seu congresso constituinte, após a aprovação da declaração de princípios e dos estatutos.Na CSI, cuja sede será Bruxelas, se fundem as antigas Confederação Internacional de Organizações Sindicais Livres (CIOSL) e a Confederação Mundial do Trabalho (CMT).- A evolução da economia desvalorizou o trabalho e, por outro lado aumentaram os direitos do capital, o que é inaceitável - declarou o chileno Juan Somavia, secretário-geral da OIT, em discurso especial no plenário.O cumprimento do programa de "trabalho decente" da OIT e dos Objetivos do Milênio das Nações Unidas são duas das prioridades da nova confederação, que em seus estatutos "se compromete a assegurar um desenvolvimento econômico e social completo e igualitário para trabalhadores e trabalhadoras no mundo todo".José Elorrieta, secretário-geral do sindicato basco ELA, destacou que a criação da CSI "possibilitou a incorporação imediata de outras organizações muito importantes que ainda não eram filiadas a nenhuma central internacional".As centrais sindicais a que se referia Elorrieta são a CTA, da Argentina; CGT da França; CUT, da Colômbia; UWTA-CS, de Angola; FISEMA, de Madagascar; OPZZ, da Polônia; TUC-N, da Nigéria; e GEFONT, do Nepal entraram hoje como membros fundadores da CSI.- São muitas organizações, muito diferentes entre si, tanto por sua cultura, tamanho e forma de trabalho, e cada uma deverá contribuir com esta internacional com as questões de que é mais próxima - destacou Elorrieta.O congresso despertou, além disso, fortes expectativas entre os sindicalistas da América Latina, que compareceram em grande número ao fórum a fim de fortalecer sua luta contra os problemas graves que afetam os trabalhadores do continente.A equatoriana Mariana Guambo Moreno, vice-presidente da Confederação Equatoriana de Organizações Sindicais Livres (CEOSL) e eleita hoje integrante da Comissão de Regulamento da CSI, expressou sua esperança de que a central internacional fortaleça a luta pela "reforma do código trabalhista" em seu país.- No Equador, não há direito à previdência social e, em muitos casos, os trabalhadores não recebem como pagamento nem sequer o salário mínimo vital estabelecido por lei - denunciou Guambo.A luta contra a discriminação da mulher em todo o mundo, a defesa dos direitos sindicais e o combate ao trabalho infantil são três tarefas que a CSI quer abordar imediatamente. Esta edição do congresso, que será realizado a cada quatro anos, terminará na sexta-feira, com a eleição dos diretores.Espera-se que o britânico Guy Ryder, até ontem secretário-geral da CIOSL, seja eleito secretário-geral, já que é o único candidato.- O dia de hoje marca o início de um movimento sindicalista rejuvenescido - disse Ryder.

Mais Sobre Mundo - Internacional

Latuff mostra a nova face dos EUA

Latuff mostra a nova face dos EUA

O chargista Carlos Latuf fez uma ilustração mostrando crianças dentro de uma jaula, em referência à política "tolerância zero" do governo dos Estados

EUA: 49 crianças brasileiras estão em abrigos separadas dos pais

EUA: 49 crianças brasileiras estão em abrigos separadas dos pais

A informação é do cônsul-geral adjunto do Brasil em Houston, Felipe Santarosa, que concedeu entrevista exclusiva à Empresa Brasil de Comunicação (EBC)

Papa detona Trump e condena separação de famílias de imigrantes

Papa detona Trump e condena separação de famílias de imigrantes

O papa Francisco criticou a política de separação de famílias imigrantes na fronteira dos EUA com o México do governo Donald Trump

Alemanha, França e Itália condenam ex-ministros por irregularidades

Na história recente da Europa, há uma série de casos de corrupção envolvendo políticos que resultaram em condenações e prisões.