Porto Velho (RO) sexta-feira, 12 de agosto de 2022
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Maduro poderá enfrentar dificuldades para implementar reformas na Venezuela, avalia diretor da FGV


Cristina Indio do Brasil
Agência Brasil

Rio de Janeiro – A pequena diferença de votos na vitória de Nicolás Maduro sobre o candidato da oposição, Henrique Caprilles, nas eleições para a Presidência da Venezuela (50,66% dos votos, contra 49,07% - menos de 234 mil votos), poderá trazer dificuldades para o novo governo implementar as reformas necessárias a fim de colocar a economia venezuelana no bom rumo. A valiação é do diretor executivo do Centro Latino-Americano de Políticas Públicas da Fundação Getulio Vargas (FGV), Marlos Lima.

"Embora o Executivo, lá, tenha um poder muito forte sobre o próprio Congresso, mesmo assim, a coalização ficou difícil. Com uma margem pequena [diferença de votos entre o presidente eleito e o candidato da oposição] e ainda com tanta dificuldade para enfrentar o poder político, [o novo governo] tende a ficar mais frágil, ainda mais, com um dever de casa como tem agora", disse.

Para Marlos Lima, o candidato da oposição Henrique Caprilles pode se beneficiar com o pouco tempo que o presidente eleito vai ter para resolver os problemas econômicos do país, diante do resultado da eleição que deixou evidente a divisão política na Venezuela. "O grau de dificuldade que Nicolás Maduro enfrentará a partir de agora para dar conta dos problemas da Venezuela, sem o carisma do Chávez, é tão grande, que isso pode vir a beneficiar o candidato da oposição. Acho que ele não precisa se esforçar muito não. É questão de tempo para que o governo faça o dever de casa que tem que fazer. As dificuldades são tantas que este tempo pode ser um fator positivo para a oposição", ressaltou.

O diretor executivo do Centro Latino-Americano de Políticas Públicas da FGV disse ainda que a eleição foi um sinal amarelo para a sociedade venezuelana. O fato da oposição ter uma votação tão expressiva, segundo ele, mostra que a sociedade tem preocupações quanto aos rumos atuais do país. "Todos sabemos dos problemas da Venezuela desde inflação, corrupção, violência, concentração de renda e, especialmente, a dependência do petróleo. Quase 100% das exportações da Venezuela são de petróleo, então, não há uma política de investimentos em um ambiente político suficientemente claro para permitir esse crescimento de forma sustentável. A sociedade se manifestou de forma surpreendente. Pra mim foi surpreedente o resultado que a oposição conseguiu", explicou.

De acordo com o economista, o presidente Maduro não tem as características do presidente Hugo Chávez, mas faz parte de um governo baseado em poíticas sociais e por isso, também, a diferença de votos na eleição surpreendeu. "Um resultado como este a despeito de todos os esforços do governo foi surpreendente. Pode ter um impacto no tipo de gestão que o novo presidente vai imprimir ao país. Provavelmente, o Maduro vai precisar de mais apoio internacional para se legitimar. Mas tudo depende da coalização de forças que terá agora. O partido governista é formado de diversas frentes e com resultado tão apertado a margem de manobra do Maduro fica cada vez mais estreita", disse.

Marlos Lima também falou sobre as relações do Brasil com a Venezuela. Segundo ele, o país é um parceiro importantíssimo para o Brasil e tem uma posição geopolítica relevante na América do Sul. "É um dos maiores produtores de petróleo do mundo. É um membro recente do Mercosul com o qual temos uma relação comercial forte. A Venezuela importa praticamente tudo que ela consome de produtos manufaturados e nós somos um grande fornecedor", declarou.
 

Mais Sobre Mundo - Internacional

Missão em Israel proporciona grande experiência de fortalecimento comercial com produtos de Rondônia

Missão em Israel proporciona grande experiência de fortalecimento comercial com produtos de Rondônia

Uma missão para um país como Israel, que se reinventou superando adversidades naturais e políticas, torna-se de grande relevância estratégica para est

Em Tel Aviv, potenciais de Rondônia são apresentados para empresários em Missão Internacional do Sebrae

Em Tel Aviv, potenciais de Rondônia são apresentados para empresários em Missão Internacional do Sebrae

A Missão Internacional Israel, promovida pelo Sebrae em Rondônia deve gerar grande frutos em breve. Empreendedores rondonienses compuseram a comitiv

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Mais da metade da população europeia deve ser infectada pela variante Ômicron do coronavírus nas próximas seis a oito semanas, disse nesta terça-fei

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

Em 16 de novembro, durante uma difícil operação de busca e resgate a menos de 30 milhas náuticas da costa da Líbia no Mediterrâneo Central, a equipe