Porto Velho (RO) quarta-feira, 10 de agosto de 2022
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Lula e Alan Garcia querem aumento das relações comerciais: Oportunidade para RO



Após falar a um grande grupo de empresários brasileiros e peruanos, de praticamente todos os estados brasileiros e departamentos peruanos no Seminário da Carretera Interoceânica, quando expôs o potencial econômico do estado e as vantagens econômicas para ambos os países com a conclusão da rodovia, na verdade um prolongamento da BR-364 até o Oceano Pacífico, o governador Ivo Cassol dirigiu-se ao Palácio Presidencial para uma grande reunião política com os presidentes Lula e Alan Garcia, além dos ministros de ambos os países, para definirem os pontos de acordo para aumento do intercâmbio comercial, que hoje é praticamente insignificante na balança comercial brasileira. 

O presidente Alan Garcia deixou claro que o Peru quer a integração econômica entre os dois países, que são vizinhos e amigos, mas estão com olhos voltados para outras partes do mundo. Garcia citou o fato de que o Peru exportou US $938 milhões ao Brasil em 2008, enquanto importou apenas US $2,3 milhões, uma grande diferença que não agrada a seu país. 

Garcia citou o fato de que o Peru possui um grande potencial energético, para construção de hidroelétricas e exploração de minérios e gás. “Com a tecnologia das empresas brasileiras poderemos nos tornar praticamente independentes”, afirmou. Sugeriu ainda que o Banco do Brasil seja mais ativo em seu país, financiando máquinas e investimentos de empresas brasileiras no Peru, que viriam para desenvolver o país e gerar empregos. 

Outra preocupação do presidente peruano foi a questão dos vôos que praticamente não existem entre os dois países. Mas reconheceu que é preciso melhor infra-estrutura nos aeroportos de ambas as fronteiras, além de desburocratizar a entrada e saída de passageiros e mercadorias com aduanas equipadas e fiscalização sanitária conjunta. 

A questão da defesa também foi abordada pelo presidente peruano, uma vez que seu país está adquirindo tanques de guerra da China e aviões de caça da Rússia, e pretende adquirir aviões Super-Tucano da Embraer para o combate do narcotráfico nas áreas de fronteira em parceria com a Força Aérea Brasileira. Garcia finalizou agradecendo a visita do presidente Lula, ministros e empresários, citando nominalmente o governador Ivo Cassol, a quem parabenizou pela iniciativa de cruzar o país pela Carretera Transoceânica em maio último, antes mesmo da conclusão da obra, lamentando não ter se encontrado para cumprimentá-lo pessoalmente.

Lula: é preciso dar o primeiro passo

Ao fazer uso da palavra, o presidente Lula afirmou que é preciso fortalecer as relações comerciais entre o Brasil e o Peru, com igualdade de condições para ambos. Lamentando o fato de que poucas empresas brasileiras investiram no Peru por não confiarem na capacidade econômica do país, o presidente brasileiro disse que a Petrobrás é o maior exemplo da confiabilidade do Governo Federal. Hoje apenas empresas de construção pesada, como a Odebrecht, e mineração, como a Vale e Votorantim, estão instaladas no país, com grandes investimentos e excelentes retornos do capital aplicado. 

Citando o caso de Rondônia, Lula agradeceu ao governador Ivo Cassol pela iniciativa de estimular a integração, se mostrando preocupado com as dificuldades que os empresários e a população do estado e do vizinho Acre enfrentam para comprar frutas, cimento e fertilizantes, muitas vezes produzidos a mais de 2.000 quilômetros de distância, quando poderiam vir do Peru a preços bem mais acessíveis, assim como a exportação da carne rondoniense, que hoje não existe. Os peruanos importam da Argentina a preços bem superiores do brasileiro, devido ao custo do frete, mesmo problema enfrentado em Rondônia. 

Exemplificando a construção das usinas do Rio Madeira, que irá produzir energia para o país, Lula solicitou estudos do Ministério das Minas e Energia para viabilizar uma hidroelétrica entre os dois países para compartilhar a energia produzida. Sugeriu ainda que os ministros de ambos os países busquem outras alternativas de integração rapidamente, e que os planos saiam do papel e se tornem realidade o mais rápido possível. Finalizando, Lula sugeriu uma rápida solução e unificação das questões sanitárias e tributárias entre os dois países.

Cassol apresenta Rondônia

Após os presidentes, os ministros peruanos e brasileiros fizeram suas explanações apresentando seus planos em suas respectivas áreas de atuação. Os ministros brasileiros Celso Amorim (relações exteriores), Édson Lobão (Minas e Energia) e Nelson Jobim (Defesa), assim como os ministros peruanos do Desenvolvimento, da Indústria e Comércio, do Turismo, dos Transportes e da Ação Social foram enfáticos em afirmar a necessidade da integração, e que seja rápida, uma vez que todos estão perdendo. 

Convidado pelo presidente Alan Garcia, o governador Ivo Cassol relatou as dificuldades que enfrentou quando percorreu, juntamente com empresários rondonienses em maio último, a Transoceânica até o porto de Ilo, quando aproveitou para conhecer a realidade peruana.
 
Cassol solicitou que os presidentes acelerem o processo de integração, uma vez que existe um grande mercado em ambos os lados, e todos podem ganhar. “Somos vizinhos, mas sempre estivemos de costas um para o outro. Agora temos a oportunidade de ficarmos de frente e nos integrar comercialmente”. Inquirido pelo presidente Alan Garcia sobre a qualidade sanitária da carne de Rondônia, Cassol afirmou que “é a melhor carne do mundo, venha a Rondônia experimentar, o senhor é meu convidado”, convite que foi aceito pelo presidente Garcia. 

Ao final da reunião o governador entregou ao presidente Lula a ”Carta de Rondônia”, onde explica em detalhes os gargalos que estão impedindo a integração com o Peru e as soluções para que se torne realidade o mais rápido possível.

Acordos de cooperação assinados

Já passava das 14:00 horas quando aconteceu a solenidade de assinatura de 14 acordos bilaterais entre os presidentes e ministros, no belíssimo salão Tupac Amaro do Palácio Presidencial, nas áreas de energia, exploração de recursos minerais e construção civil de residências, entre outros. 

Após a solenidade Cassol os convidados almoçaram no Palácio e retornaram ao Swiss Hotel, onde aconteciam as rodadas de negócios entre empresários brasileiros e peruanos, para o encerramento do seminário. O presidente Alan Garcia mais uma vez agradeceu a presença do presidente Lula e do governador Ivo Cassol, o único governador presente ao evento, além dos ministros e empresários presentes ao evento, convidando-os a retornar e investir no país. 

O governador Ivo Cassol avaliou como excelente a viagem a Lima para reunir-se com os presidentes e governadores peruanos, esperando que a integração realmente aconteça para um crescimento ainda maior da economia rondoniense e brasileira. Cassol e a comitiva de empresários que o acompanhou à Lima retornam à Porto Velho na manhã deste sábado. 

Fonte: Decom

Mais Sobre Mundo - Internacional

Missão em Israel proporciona grande experiência de fortalecimento comercial com produtos de Rondônia

Missão em Israel proporciona grande experiência de fortalecimento comercial com produtos de Rondônia

Uma missão para um país como Israel, que se reinventou superando adversidades naturais e políticas, torna-se de grande relevância estratégica para est

Em Tel Aviv, potenciais de Rondônia são apresentados para empresários em Missão Internacional do Sebrae

Em Tel Aviv, potenciais de Rondônia são apresentados para empresários em Missão Internacional do Sebrae

A Missão Internacional Israel, promovida pelo Sebrae em Rondônia deve gerar grande frutos em breve. Empreendedores rondonienses compuseram a comitiv

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Mais da metade da população europeia deve ser infectada pela variante Ômicron do coronavírus nas próximas seis a oito semanas, disse nesta terça-fei

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

Em 16 de novembro, durante uma difícil operação de busca e resgate a menos de 30 milhas náuticas da costa da Líbia no Mediterrâneo Central, a equipe