Porto Velho (RO) domingo, 5 de abril de 2020
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Japão lembra vítimas da bomba atômica


Renata Giraldi*
Agência Brasil

Brasília - A cidade japonesa de Hiroshima homenageou hoje (6) as mais de 200 mil vítimas da bomba atômica lançada sobre a região há 67 anos pelos Estados Unidos. A cerimônia reuniu apelos para a paz, a não proliferação e o fim de armas atômicas no mundo. Manifestantes se reuniram no Parque Memorial da Paz de Hiroshima. Houve um minuto de silêncio.

O primeiro ataque nuclear da história, em Hiroshima, ocorreu na manhã de 6 de agosto de 1945. A bomba atômica Little Boy foi lançada sobre a cidade, matando instantaneamente cerca de 80 mil pessoas. No entanto, em consequência do bombardeio, dos ferimentos e da radiação, aproxidamente mais 140 mil pessoas morreram.

"Não podemos esquecer a tragédia", apelou o primeiro-ministro do Japão, Yoshihiko Noda. Ele se lembrou do desastre no ano passado, quando houve explosões e vazamentos na Usina Nuclear de Fukushima Daiichi. De acordo com Noda, o governo fará "todo o possível" para descontaminar a área.

O primeiro-ministro disse que o governo se empenhará em executar uma política energética para reduzir a dependência das usinas nucleares e ampliar a segurança energética a longo prazo.

A cerimônia para lembrar as vítimas de Hiroshima ganhou mais força em decorrência dos acidentes em Fukushima agravados pela sequência de terremotos e tsunamis, em março de 2011.


*Com informações da agência pública de notícias de Portugal, Lusa // Edição: Juliana Andrade

Mais Sobre Mundo - Internacional

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisadores de universidades americanas sugerem que os potenciais infiéis têm um perfil: Apresentam níveis educacionais e financeiros acima da méd

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

Quem pensa que o presidente francês Emmanuel Macron foi o primeiro presidente de uma potência europeia a questionar a soberania brasileira sobre a 

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Dos 183 países integrantes da Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas 38 pesquisados pelo organismo, entre eles o Brasil, contam com uma estratégia