Porto Velho (RO) segunda-feira, 30 de março de 2020
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Filhos de Khadafi se propõem a fazer transição na Líbia



Da Agência Lusa

Agência Brasil, Brasília - Dois filhos do presidente da Líbia, Muammar Khadafi, de 68 anos e há 42 no poder, propõem uma transição democrática no país. A sugestão de Seif Al Islam El Kadhafi é que ele conduza o processo de transição seguindo as orientações de uma democracia constitucional, que incluem a retirada do seu pai do poder. Seif é apontado como sucessor natural de Khadafi.

A sugestão tem o apoio de Saadi El Kadhafi, outro filho do presidente líbio. Porém, não há informações se Khadafi aprova a proposta dos filhos Seif e Saadi. No entanto, pessoas próximas ao líder líbio disseram que ele sinaliza ser favorável à proposta.

De acordo com diplomatas líbios, os dois filhos de Khadafi pretendem atuar com o objetivo de mudar a Líbia. Seif e Saad estudaram em escolas ocidentais, mas outros dois, Khamis e Mutuassim, são considerados partidários do estilo de governo do pai.

Khamis, por exemplo, é apontado como líder de uma milícia que atua em favor do governo, enquanto Mutuassim é conselheiro da segurança nacional e considerado rival de Seif na sucessão do pai.

 

Mais Sobre Mundo - Internacional

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisadores de universidades americanas sugerem que os potenciais infiéis têm um perfil: Apresentam níveis educacionais e financeiros acima da méd

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

Quem pensa que o presidente francês Emmanuel Macron foi o primeiro presidente de uma potência europeia a questionar a soberania brasileira sobre a 

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Dos 183 países integrantes da Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas 38 pesquisados pelo organismo, entre eles o Brasil, contam com uma estratégia