Porto Velho (RO) sábado, 28 de março de 2020
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Filho de Khadafi nega que o pai vá deixar o poder



Brasília – Apontado como sucessor do pai, o presidente da Líbia, Muammar Khadafi, Seif Al Islam, disse hoje (20) que surpreenderam o governo os ataques promovidos pela coalizão internacional. Segundo ele, houve um “grande mal-entendido” sobre o que ocorre na Líbia, cuja situação se agravou nos últimos dias. Al Islam reafirmou mais uma vez que o pai não pensa em abrir mão do poder.

Al Islam disse que não há razões para Khadafi deixar o comando da Líbia. “Afastar-se [do poder] por quê? Mais uma vez há um grande mal-entendido. O país está todo unido contra as milícias e os terroristas. Os Estados Unidos e os outros países ocidentais estão simplesmente apoiando os terroristas e as milícias”, disse o filho de Khadafi.

Ontem (19) os Estados Unidos, a França, Inglaterra, Itália e o Canadá – que formam a coalizão internacional - lançaram mísseis sobre a Líbia. O presidente líbio, Maummar Khadafi, avisou que haverá uma “longa guerra” na região e recomendou que as pessoas reajam, “com armas”, aos eventuais ataques.

“Ontem [sábado] fomos surpreendidos. Foi uma enorme surpresa ver o presidente [norte-americano, Barack] Obama, que pensávamos ser um homem bom e amigo do mundo árabe, bombardear a Líbia”, disse.

Al Islam negou que o Exército líbio atacou as forças da oposição, em Benghazi, que é considerada a capital da resistência a Khadafi. “Se os norte-americanos querem ajudar a população de Benghazi, que vão a Benghazi e libertem a cidade das milícias e dos terroristas”, disse.

 

Mais Sobre Mundo - Internacional

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisadores de universidades americanas sugerem que os potenciais infiéis têm um perfil: Apresentam níveis educacionais e financeiros acima da méd

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

Quem pensa que o presidente francês Emmanuel Macron foi o primeiro presidente de uma potência europeia a questionar a soberania brasileira sobre a 

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Dos 183 países integrantes da Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas 38 pesquisados pelo organismo, entre eles o Brasil, contam com uma estratégia