Porto Velho (RO) quinta-feira, 2 de abril de 2020
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Federação suíça vai doar 455 euros aos migrantes por gol



Da Agência Lusa

A Federação Suíça de Futebol (SFL) anunciou hoje (11) que vai doar 500 francos suíços (455 euros) por cada gol marcado na jornada do campeonato no fim de semana, em auxílio aos refugiados.

“Na última época cerca de 50 países estavam representados no campeonato suíço de futebol (SFL). Os clubes sabem diariamente o verdadeiro significado do que é a integração e a solidariedade”, justificou o presidente da SFL, Heinrich Schifferle.

A verba de 500 francos contempla cada gol marcado em jogos da primeira e segunda divisão, especifica a SFL em comunicado. O dinheiro será doado à fundação suíça de solidariedade ‘Chaîne du Bonheur’.

Na última jornada foram marcados 13 gols na divisão principal e 16 na segunda.

Nesta rodada, os adeptos que se desloquem aos estádios serão também convidados a fazer donativos àquela fundação.

A iniciativa da SFL junta-se a inúmeras outras no mundo de futebol, entre as quais uma proposta pelo FC Porto, para que os clubes doassem um euro por bilhete vendido no primeiro jogo ‘caseiro’ da Liga dos Campeões para ajudar refugiados.

Agência Brasil

 

Mais Sobre Mundo - Internacional

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisadores de universidades americanas sugerem que os potenciais infiéis têm um perfil: Apresentam níveis educacionais e financeiros acima da méd

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

Quem pensa que o presidente francês Emmanuel Macron foi o primeiro presidente de uma potência europeia a questionar a soberania brasileira sobre a 

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Dos 183 países integrantes da Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas 38 pesquisados pelo organismo, entre eles o Brasil, contam com uma estratégia