Porto Velho (RO) sexta-feira, 10 de abril de 2020
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Farc duvidam da vontade de paz do gov. colombiano


Leandra Felipe*
Agência Brasil/EBC

Bogotá - O anúncio do governo colombiano de entregar a camponeses 500 mil hectares que teriam sido usurpadas pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) provocou reação contrária da guerrilha hoje (22). Segundo um comunicado do líder máximo das Farc, Timoleón Jiménez, conhecido como Timochenko a atitude do governo “coloca em dúvida se o governo quer mesmo a paz”.

No comunicado, a guerrilha pediu a criação de uma comissão composta por representantes do governo, da Farc e de organizações sociais para investigar a situação real das terras em San Vicente de Caguán, departamento de Caquetá, Sudeste do país, onde o presidente Juan Manuel Santos, anunciou esta semana, a entrega de títulos aos camponeses.

Timochenko destacou no texto que “acreditava na sinceridade do presidente Santos, ao dizer que queria ficar na história como o presidente que conseguiu a paz na Colômbia”, disse. “Mas seu comportamento e suas palavras em San Vicente del Caguán nos deixaram perplexos”, completou.

Durante a entrega dos títulos aos camponeses, Santos declarou que as terras que entregues eram de propriedade do Estado e que haviam sido usurpadas pela guerrilha.

Timochenko ressaltou que o presidente, durante o ato em Caguán, não fez referência às negociações de paz. “Nenhuma vez, Santos mencionou o processo de paz. É assim que o governo quer criar um ambiente propicio para o diálogo?”, indagou no texto lido em Havana (Cuba).

*Com informações da TV Estatal Telesur
 

Mais Sobre Mundo - Internacional

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisadores de universidades americanas sugerem que os potenciais infiéis têm um perfil: Apresentam níveis educacionais e financeiros acima da méd

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

Quem pensa que o presidente francês Emmanuel Macron foi o primeiro presidente de uma potência europeia a questionar a soberania brasileira sobre a 

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Dos 183 países integrantes da Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas 38 pesquisados pelo organismo, entre eles o Brasil, contam com uma estratégia