Porto Velho (RO) sexta-feira, 12 de agosto de 2022
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Exportação de gás boliviano para Argentina não está normalizada


Agência O Globo LA PAZ - A exportação de gás natural boliviano para a Argentina ainda não foi normalizada, apesar de a operadora Transredes tenha retomado o controle da usina, informaram, neste sábado, fontes da empresa subsidiária das multinacionais Shell e Ashmore. Um grupo de técnicos da empresa ingressou, na manhã deste sábado, na usina de Yacuiba, na fronteira do sul do país, três dias depois de os moradores, mobilizados contra o governo, atacaram a estação e expulsaram os funcionários. Um porta-voz da Transredes, integrante da comitiva, relatou que as instalações da filial estão praticamente destruídas e é evidente que "houve um saque total" por parte daqueles que atacaram o terminal petrolífero na quarta-feira passada. Os técnicos começaram a avaliar os danos para determinar que medidas serão necessárias para regularizar o envio de gás à Argentina, disse uma funcionária da empresa. Nessa sexta-feira, a estatal boliviana Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB) informou que o conflito na província fez com que reduzisse o fornecimento do combustível tanto para a Argentina como para o Brasil, devido à falta de capacidade de armazenamento de líquidos causada pela invasão aos prédios da Transredes. Os funcionários da empresa conseguiram entrar nas instalações acompanhados de um coronel da polícia, devido ao fato de, em Yacuiba, ainda persistirem o bloqueio feito pelos moradores da província pelo sexto dia consecutivo. Desde a noite passada, o interior do campo petrolífero é patrulhado por efetivos do Exército, mas muitos curiosos entram e saem pelo portão, que permanece aberto desde que foi derrubado pelos manifestantes. A greve dos três municípios da província Gran Chaco se mantém, à espera dos resultados de uma reunião de avaliação que seus dirigentes iniciaram esta manhã, no povoado de Caraparí, explicou o dirigente cívico Gualberto Durán. No entanto, na noite dessa sexta-feira, os líderes da mobilização aceitaram a resposta da Prefeitura do Departamento de Tarija a várias de suas reivindicações, exceto a relativa às mudanças dos limites com a província vizinha de O'Connor. Com isso, os habitantes de Villamontes suspenderam seu bloqueio à usina de compressão de gás do local, o que permitiu o bombeamento do combustível à cidade de Tarija, capital do departamento. Neste sábado, as atividades em Yacuiba começaram a ser restabelecida, incluindo o tráfego urbano, enquanto persiste o bloqueio em vários pontos da rodovia que liga á Argentina e ao Paraguai, à espera da decisão que será tomada por seus dirigentes. Os temas pendentes serão discutidos com o governo nacional na próxima segunda-feira, na cidade de La Paz, confirmaram as partes envolvidas. O conflito esteve centrado na disputa das províncias de Gran Chaco e O'Connor sobre a localidade de Chimeo, onde se encontra a rica jazida de gás de Margarita, pela elevada arrecadação que terá o município que tiver a regalia de sua exploração. O conflito deixou, até agora, um saldo parcial de uma pessoa morta e 53 feridos, oito delas atingidas por tiros. Três continuam em estado grave.

Mais Sobre Mundo - Internacional

Missão em Israel proporciona grande experiência de fortalecimento comercial com produtos de Rondônia

Missão em Israel proporciona grande experiência de fortalecimento comercial com produtos de Rondônia

Uma missão para um país como Israel, que se reinventou superando adversidades naturais e políticas, torna-se de grande relevância estratégica para est

Em Tel Aviv, potenciais de Rondônia são apresentados para empresários em Missão Internacional do Sebrae

Em Tel Aviv, potenciais de Rondônia são apresentados para empresários em Missão Internacional do Sebrae

A Missão Internacional Israel, promovida pelo Sebrae em Rondônia deve gerar grande frutos em breve. Empreendedores rondonienses compuseram a comitiv

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Mais da metade da população europeia deve ser infectada pela variante Ômicron do coronavírus nas próximas seis a oito semanas, disse nesta terça-fei

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

Em 16 de novembro, durante uma difícil operação de busca e resgate a menos de 30 milhas náuticas da costa da Líbia no Mediterrâneo Central, a equipe