Porto Velho (RO) quinta-feira, 2 de abril de 2020
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Evo Morales faz ato simbólico nas refinarias compradas da Petrobras


André Deak
Agência Brasil


Brasília - O presidente da Bolívia, Evo Morales, organizou hoje (12) um "ato de regozijo" nas refinarias compradas da Petrobras. De acordo com a Agência Boliviana de Informação, Evo disse que o ato da compra solidifica a "soberania dos recursos naturais" do país. A entrega das instalações será feita em 30 dias, com o pagamento de US$ 112 milhões à empresa brasileira.

Também presente na comemoração, o ministro de Hidrocarbonetos e Energia, Carlos Villegas, disse que a Bolívia vive outro momento fundamental da nacionalização.

Ontem (11), o diretor financeiro e de Relações com os Investidores da Petrobras, Almir Barbassa, avaliou como "preço justo" os US$ 112 milhões obtidos com a venda das duas refinarias que a estatal mantinha em Santa Cruz de La Sierra e Cochabamba, na Bolívia.

“Foi um negócio realizado a um preço razoável, um preço justo. Nós compramos as refinarias no país em 1999 com a intenção de permanecermos lá. Se perguntarem se a escolha era vender, a resposta é não, mas conseguimos um preço justo pelo ativo que tínhamos lá”, disse.

 

Mais Sobre Mundo - Internacional

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisadores de universidades americanas sugerem que os potenciais infiéis têm um perfil: Apresentam níveis educacionais e financeiros acima da méd

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

Quem pensa que o presidente francês Emmanuel Macron foi o primeiro presidente de uma potência europeia a questionar a soberania brasileira sobre a 

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Dos 183 países integrantes da Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas 38 pesquisados pelo organismo, entre eles o Brasil, contam com uma estratégia