Porto Velho (RO) sexta-feira, 22 de junho de 2018
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

EUA farão recall de aparelho usado no Legacy


Agência O GloboEm 12 de setembro, 17 dias antes da colisão entre um avião comercial da Gol e um jato Legacy, que matou 154 pessoas, a agência americana de aviação (FAA, na sigla em inglês) determinou o recall do modelo do transponder usado no Legacy da Embraer envolvido na tragédia. A pane no equipamento é uma possível explicação para o acidente, que está sendo investigado pelas autoridades brasileiras. O transponder funciona como uma espécie de radar, detectando a presença de outras aeronaves e evitando colisões.O recall foi determinado porque a agência constatou um defeito que pode causar perda de contato com o controle de tráfego aéreo. Com o problema, o sistema anti-colisão pode deixar de funcionar. Em seus depoimentos, tanto os pilotos do Legacy quanto o controle aéreo de Brasília afirmam que tentaram entrar em contato um com o outro, mas não conseguiram. De acordo com a FAA, o equipamento pode ficar inativo se o piloto demorar mais do que cinco segundos para mexer no botão que informa o código numérico que identifica a aeronave nos radares.O aparelho é fabricado pela empresa norte-americana Honeywell, uma gigante do setor, com faturamento anual próximo de US$ 30 bilhões. A agência americana determinou que todos os aviões equipados com os modelos de transponder com suspeita de defeito de fabricação tivessem partes do aparelho susbstituídos em até 18 meses. A substituição começa no dia 17 de outubro. A agência também havia exigido que as empresas proprietárias do avião informassem o estado de seus transponders em até cinco dias.Respondendo ao chamado da FAA, a Embraer argumentou que parte de suas aeronaves equipadas com o transponder da Honeywell estaria em viagens internacionais. Por isso, pediu extensão de prazo para as revisões. Segundo a empresa brasileira, o defeito do transponder não representava grande perigo para justificar um prazo tão apertado.A Embraer pedia 30 dias para realizar a inspeção. A agência acabou estendendo o prazo para 14 dias. A empresa Honeywell, fabricante do equipamento, havia argumentado que a troca seria necessária somente caso os proprietários do avião notassem algum problema com o transponder.A FAA não aceitou o pedido e determinou que a empresa seguisse com a subsituição das peças. A operação terá um custo entre US$ 420 mil e US$ 600 mil. O valor é relativamente baixo, pois apenas alguns componentes, e não o equipamento inteiro, terão de ser substituídos.Mais de 1,3 mil aeronaves de empresas como Bombardier, Cessna e Learjet usam atualmente os aparelhos suspeitos de defeito de fabricação, produzidos pela Honeywell,

Mais Sobre Mundo - Internacional

ONU: mudança de opinião de Trump sobre crianças não tem sentido

ONU: mudança de opinião de Trump sobre crianças não tem sentido

"Entendemos que agora a prática será colocar as crianças com seus pais nos centros de detenção de imigrantes, e dissemos várias vezes que as crianças

Contra imigração, Trump quer abrigar 20 mil crianças em bases militares

Contra imigração, Trump quer abrigar 20 mil crianças em bases militares

As Forças Armadas dos EUA foram orientadas a se preparar para abrigar até 20 mil crianças imigrantes, à medida que o presidente tenta reverter uma pol

Latuff mostra a nova face dos EUA

Latuff mostra a nova face dos EUA

O chargista Carlos Latuf fez uma ilustração mostrando crianças dentro de uma jaula, em referência à política "tolerância zero" do governo dos Estados

EUA: 49 crianças brasileiras estão em abrigos separadas dos pais

EUA: 49 crianças brasileiras estão em abrigos separadas dos pais

A informação é do cônsul-geral adjunto do Brasil em Houston, Felipe Santarosa, que concedeu entrevista exclusiva à Empresa Brasil de Comunicação (EBC)