Porto Velho (RO) terça-feira, 13 de novembro de 2018
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

EUA farão recall de aparelho usado no Legacy


Agência O GloboEm 12 de setembro, 17 dias antes da colisão entre um avião comercial da Gol e um jato Legacy, que matou 154 pessoas, a agência americana de aviação (FAA, na sigla em inglês) determinou o recall do modelo do transponder usado no Legacy da Embraer envolvido na tragédia. A pane no equipamento é uma possível explicação para o acidente, que está sendo investigado pelas autoridades brasileiras. O transponder funciona como uma espécie de radar, detectando a presença de outras aeronaves e evitando colisões.O recall foi determinado porque a agência constatou um defeito que pode causar perda de contato com o controle de tráfego aéreo. Com o problema, o sistema anti-colisão pode deixar de funcionar. Em seus depoimentos, tanto os pilotos do Legacy quanto o controle aéreo de Brasília afirmam que tentaram entrar em contato um com o outro, mas não conseguiram. De acordo com a FAA, o equipamento pode ficar inativo se o piloto demorar mais do que cinco segundos para mexer no botão que informa o código numérico que identifica a aeronave nos radares.O aparelho é fabricado pela empresa norte-americana Honeywell, uma gigante do setor, com faturamento anual próximo de US$ 30 bilhões. A agência americana determinou que todos os aviões equipados com os modelos de transponder com suspeita de defeito de fabricação tivessem partes do aparelho susbstituídos em até 18 meses. A substituição começa no dia 17 de outubro. A agência também havia exigido que as empresas proprietárias do avião informassem o estado de seus transponders em até cinco dias.Respondendo ao chamado da FAA, a Embraer argumentou que parte de suas aeronaves equipadas com o transponder da Honeywell estaria em viagens internacionais. Por isso, pediu extensão de prazo para as revisões. Segundo a empresa brasileira, o defeito do transponder não representava grande perigo para justificar um prazo tão apertado.A Embraer pedia 30 dias para realizar a inspeção. A agência acabou estendendo o prazo para 14 dias. A empresa Honeywell, fabricante do equipamento, havia argumentado que a troca seria necessária somente caso os proprietários do avião notassem algum problema com o transponder.A FAA não aceitou o pedido e determinou que a empresa seguisse com a subsituição das peças. A operação terá um custo entre US$ 420 mil e US$ 600 mil. O valor é relativamente baixo, pois apenas alguns componentes, e não o equipamento inteiro, terão de ser substituídos.Mais de 1,3 mil aeronaves de empresas como Bombardier, Cessna e Learjet usam atualmente os aparelhos suspeitos de defeito de fabricação, produzidos pela Honeywell,

Mais Sobre Mundo - Internacional

Alimentos Umami - Lisiane Miura conta qual é a característica comum dos ingredientes utilizados

Alimentos Umami - Lisiane Miura conta qual é a característica comum dos ingredientes utilizados

Lisiane Miura conta qual é a característica comum dos ingredientes utilizados

Conheça TikTok, o app mais baixado que Instagram e Facebook nos EUA

Conheça TikTok, o app mais baixado que Instagram e Facebook nos EUA

Aplicativo de vídeos curtos tem mais de 130 milhões de usuários no mundo

Lula leva à ONU aliança entre Moro e Bolsonaro

Lula leva à ONU aliança entre Moro e Bolsonaro

Preso e arrancado do processo eleitoral de 2018 por decisão do juiz Sergio Moro, o ex-presidente Lula decidiu levar ao Comitê de Direitos Humanos da O

Imprensa internacional destaca perfil anticorrupção de Sergio Moro

Imprensa internacional destaca perfil anticorrupção de Sergio Moro

Jornais lembram que novo ministro foi responsável pela prisão de Lula