Porto Velho (RO) terça-feira, 7 de abril de 2020
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Emissário da ONU se reúne com Putin na tentativa de convencer Rússia a endurecer contra Síria


Renata Giraldi*
Agência Brasil

Brasília – A crise na Síria, que dura 16 meses, é o tema principal da reunião do emissário especial da Organização das Nações Unidas (ONU) e da Liga Árabe ao país, Kofi Annan, com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, e o ministro dos Negócios Estrangeiros (o equivalente a chanceler), Serguei Lavrov. A Rússia, a China e o Irã resistem a aceitar uma intervenção externa para conter a onda de violência na Síria.

É a segunda visita de Annan a Moscou, nos últimos quatro meses. Annan quer o apoio da Rússia para impedir o agravamento da situação. Porém, as autoridades russas indicam que pretendem manter a posição atual em relação à Síria.

Em comunicado, Putin informou a disposição de manter a atual posição em relação à Síria. "Durante o encontro [entre Kofi Annan e o presidente Putin], planeja-se confirmar uma vez mais o apoio da Rússia ao plano de paz de Kofi Annan sobre a regularização político-diplomática da crise na Síria”, diz a nota.

No trecho seguinte, o comunicado informa: “[O governo russo] parte do princípio de que esse plano é a única plataforma viável de solução dos problemas internos sírios". O texto reforça que, no que depender da Rússia, não haverá intervenção externa na Síria.

As autoridades russas, segundo informações de diplomatas estrangeiros que acompanham o assunto, pretendem criticar, no Conselho de Segurança da ONU, as propostas que sugerem sanções ao governo do presidente sírio, Bashar Al Assad.

*Com informações da agência pública de notícias de Portugal, Lusa // Edição: Juliana Andrade
 

Mais Sobre Mundo - Internacional

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisadores de universidades americanas sugerem que os potenciais infiéis têm um perfil: Apresentam níveis educacionais e financeiros acima da méd

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

Quem pensa que o presidente francês Emmanuel Macron foi o primeiro presidente de uma potência europeia a questionar a soberania brasileira sobre a 

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Dos 183 países integrantes da Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas 38 pesquisados pelo organismo, entre eles o Brasil, contam com uma estratégia