Porto Velho (RO) quarta-feira, 8 de abril de 2020
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

E.U.A apoiam parcialmente pleito brasileiro da ONU


Renata Giraldi
Agência Brasil

Brasília – O desejo de o Brasil ser integrante permanente do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) foi apoiado parcialmente hoje (16) pela secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton. Ela disse que os Estados Unidos defendem a ampliação do órgão e, se houver consenso entre os demais membros permanentesGente de Opinião, o Brasil pode vir a fazer parte da entidade. Ela destacou, no entanto, a necessidade de consenso para implementar a medida.

“Não podemos imaginar um Conselho de Segurança no futuro que não inclua um país como o Brasil, com todo o progresso que tem desenvolvido. Os Estados Unidos admiram, sem dúvidas, o papel de liderança que o Brasil desempenha e compreende a vontade de ter um assento permanente”, disse a secretária.

Hillary condicionou um eventual apoio dos Estados Unidos ao consenso entre os cinco países com assento permanente no Conselho de Segurança da organização.

“Acreditamos que o Conselho de Segurança terá sua formação atualizada ao século 21, para que reflita o mundo que existe hoje, não o mundo que existia quando ele foi formado”, disse ela.

Em seguida, a secretária acrescentou que a atualização é a razão pela existe o comprometimento em reformar várias áreas das Nações Unidas, não apenas o Conselho de Segurança.

“Acreditamos que os Estados Unidos têm mostrado real comprometimento com essa reforma. [Mas] também entendemos que até que outros países se comprometam com a reforma, não faremos o progresso que precisamos”, disse.

A estrutura atual do Conselho de Segurança das Nações Unidas foi formada do final da 2ª Guerra Mundial. Cinco países ocupam vagas permanentes no órgão, são eles: os Estados Unidos, a Rússia, a China, a França e a Inglaterra. Há, ainda, dez vagas rotativas, ocupadas por outros países por um período de dois anos.

Para as autoridades brasileiras, o ideal é aumentar o número de cadeiras de 15 para 25, entre as quais o Brasil se coloca como candidato a titular. O assunto é tema recorrente nas reuniões da presidenta Dilma Rousseff e do ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, com autoridades estrangeiras.

Mais Sobre Mundo - Internacional

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisadores de universidades americanas sugerem que os potenciais infiéis têm um perfil: Apresentam níveis educacionais e financeiros acima da méd

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

Quem pensa que o presidente francês Emmanuel Macron foi o primeiro presidente de uma potência europeia a questionar a soberania brasileira sobre a 

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Dos 183 países integrantes da Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas 38 pesquisados pelo organismo, entre eles o Brasil, contam com uma estratégia