Porto Velho (RO) sexta-feira, 18 de janeiro de 2019
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Deputado faz balanço positivo do Mercosul em 2006


Agência o GloboSÃO PAULO - As relações sul-americanas terminam o ano de 2006 com balanço positivo, conforme avaliação do deputado Dr. Rosinha (PT-PR), que destacou os pontos positivos que vão beneficiar a comunidade do Mercosul em 2007.- O Mercosul ganha hoje uma ênfase mais ampla do que meramente um mercado, está ganhando um aspecto geopolítico e esse aspecto é de consolidar a América do Sul como alguém que existe no mundo da política, alguém que tem direitos a nível mundial - disse.O deputado acrescentou que as relações são positivas porque a Bolívia elegeu um novo presidente, Evo Morales, o "el-hermano", como dizem os índios, lembrou. Segundo ele, há também um grande fortalecimento do movimento social, não somente na Bolívia, mas na América do Sul, que é um ponto positivo, na sua avaliação. Ele citou a eleição de um presidente de centro-esquerdo, Rafael Correia, no Equador.- Isso demonstrou uma mudança bastante profunda na América do Sul. No Brasil e na Venezuela a boa relação se consolida com Lula e Hugo Chávez e isto é extremamente positivo na questão do olhar político - avaliou.De acordo com o deputado paranaense, os próximos quatro anos podem servir para a transformação do Mercosul em uma comunidade sul-americana de nações. Para ele, a instalação do Parlamento, a entrada da Venezuela no bloco e a aprovação do Fundo de Convergência do Mercosul consolidam essa estratégia.- Terminamos 2006 dizendo que o Mercosul existe, apesar dos críticos e adversários que o bloco tem. E com o ar político de reeleição de Lula e Chávez, eleição de Evo Morales e Rafael Correia e o fortalecimento do movimento social do Mercosul, partiremos agora para a consolidação da comunidade sul americana de nações.De acordo com Dr. Rosinha, a Tríplice Aliança é um ponto a ser debatido para a melhor integração dos povos sul-americanos e citou a necessidade de os parlamentares do Mercosul terem uma visão internacionalista e de solidariedade, uma visão de que nenhum país deve se sobrepor aos outros.- Os parlamentares brasileiros principalmente têm que ter essa visão, pois dessa forma ajudarão a superar essas feridas que ainda existem da Tríplice Aliança. E eu irei trabalhar para que esse debate dentro do Parlamento busque a reparação desse processo. Não digo uma reparação econômica, mas sim uma reparação cultural e até histórica desses países - disse.Ele ainda apontou como mudança necessária a conscientização da imprensa brasileira com relação ao Mercosul.- Acho que de imediato teria que mudar um pouco a visão do Mercosul, principalmente nos grandes órgãos de imprensa. Eles não conseguem enxergar o que está acontecendo na América do Sul, eles estão cegos pra isso. Uns estão mal-informados, outros usam de má-fé. Se eles conseguissem olhar com outro olhar que não o que olharam até agora, enxergando que existe uma integração efetiva e que um bloco está sendo construído, eles conseguiriam colaborar muito. Não estou dizendo que não deve haver críticas, mas acontece que hoje há muita desinformação - disse.

Mais Sobre Mundo - Internacional

ALERTA: Mídias sociais elevam depressão entre meninas, diz pesquisa

ALERTA: Mídias sociais elevam depressão entre meninas, diz pesquisa

Meninas adolescentes são duas vezes mais propensas que os meninos a apresentar sintomas de depressão em conexão ao uso das redes sociais, segundo estu

FRANÇA: Coletes amarelos retomam protestos; 101 pessoas são detidas

FRANÇA: Coletes amarelos retomam protestos; 101 pessoas são detidas

Os manifestantes conhecidos como coletes amarelos voltaram às ruas de várias cidades da França ontem (5) na primeira grande mobilização de 2019, que m

Embaixador de Israel afirma “Bolsonaro é o segundo Oswaldo Aranha”,

Embaixador de Israel afirma “Bolsonaro é o segundo Oswaldo Aranha”,

O embaixador do Israel no Brasil, Yossi Shelley, comparou, em entrevista exclusiva à Empresa Brasil de Comunicação (EBC), o presidente Jair Bolsonaro

Presidente chinês, Xi Jinping, diz que está disposto a trabalhar com Bolsonaro

Presidente chinês, Xi Jinping, diz que está disposto a trabalhar com Bolsonaro

O presidente da China, Xi Jinping, enviou uma carta ao presidente Jair Bolsonaro afirmando que está disposto a trabalhar com o novo governo brasilei