Porto Velho (RO) sexta-feira, 12 de agosto de 2022
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Crise muda planos de dekasseguis e muitos decidem voltar ao Brasil


 
Dezembro é o mês preferido dos dekasseguis que vão passar férias no Brasil. Neste ano, porém, o número de brasileiros que vão viajar nessa época caiu devido à crise e, entre os que decidiram ir, muitos não vão voltar para o Japão.

 



“Metade das reservas para o mês de dezembro foram canceladas”, conta o dono da agência de turismo Azuma, de Nagóia, província de Aichi, Oswaldo Higashi, 58 anos. “O pessoal está com medo de viajar no Natal e perder o trabalho”, acrescenta.

Os pacotes de viagem para países da Ásia, como Indonésia e Tailândia, também não fazem mais tanto sucesso. “A procura caiu pela metade”, diz Higashi.

Por outro lado, as reservas de ida para o Brasil, que representavam 50% das vendas da agência, agora, são a maioria: cerca de 70%, segundo o dono da Azuma.

Na filial da província de Gunma da Alfainter, outra agência de viagem brasileira, o quadro é o mesmo: as reservas de passagens somente de ida para o Brasil aumentaram de 50% para 70% do total.

Mas, de acordo com o gerente Arnaldo Shiowaki, os clientes só devem embarcar nos meses de janeiro, fevereiro e março. “Acredito que as pessoas queiram receber o seguro-desemprego antes de ir embora”, opina.

Outro indício de que os brasileiros estão voltando ao país natal é a grande quantidade de remessas de dinheiro. Segundo a reportagem apurou com os bancos brasileiros no Japão, a procura pelo serviço aumentou bastante nos dois últimos meses.

“No entanto, é preciso ressaltar que a taxa de câmbio também contribuiu para este aumento”, lembra George Makoto Okuda, diretor representante do Bradesco. Com o dólar valorizado no Japão e o real desvalorizado no Brasil, o dekassegui acaba tendo um pequeno lucro.


Solução é voltar

Mayumi Mieno, 28, é uma que não descarta a volta ao país natal. “A minha família está toda aqui, mas se a crise não passar logo, vamos voltar para o Brasil”, diz ela, que está cumprindo aviso prévio.

A pequena fábrica de autopeças para a qual Mayumi trabalha há seis anos, em Gunma, vai fechar as portas no final de janeiro. E, neste mês, as mulheres passaram a trabalhar uma hora a menos.

A brasileira está assustada, pois o namorado já não tem mais as quatro horas extras diárias que fazia e o cunhado, pai de duas crianças pequenas, foi demitido. Ela, os pais e os irmãos moram há 12 anos no Japão e têm visto permanente.


Corte de gastos

Desde quando entrou em uma fábrica de componentes eletrônicos, na cidade de Oizumi, em Gunma, há três anos, Adriana Ferrari, 28, trabalhava de segunda a sábado, das 8h às 20h.

Nos últimos meses, porém, a carga de trabalho dela e dos demais colegas foi reduzida drasticamente. Os sábados foram cortados e algumas sextas-feiras também. “O salário caiu bastante porque o sábado contava como hora extra”, lamenta.

O jeito foi enxugar o orçamento doméstico, mandar menos dinheiro para a família que está no Brasil e rezar para não ficar desempregada.

Outro que já começou a cortar gastos, principalmente os supérfluos, é André Luis Fujiwara, 38, que vive em Minokamo, província de Gifu. Ele está há menos de uma semana desempregado, mas a esposa continua na fábrica.

“Tínhamos a intenção de voltar ao Brasil para estudar e esperar as coisas melhorarem por aqui. Mas ouvimos que as coisas por lá também não estão nada bem”, diz o brasileiro, que ainda não sabe o que vai fazer, já que arranjar vaga em outra empresa está complicado. “Vou continuar tentando”, afirma.

Fonte: BBC Brasil

Mais Sobre Mundo - Internacional

Missão em Israel proporciona grande experiência de fortalecimento comercial com produtos de Rondônia

Missão em Israel proporciona grande experiência de fortalecimento comercial com produtos de Rondônia

Uma missão para um país como Israel, que se reinventou superando adversidades naturais e políticas, torna-se de grande relevância estratégica para est

Em Tel Aviv, potenciais de Rondônia são apresentados para empresários em Missão Internacional do Sebrae

Em Tel Aviv, potenciais de Rondônia são apresentados para empresários em Missão Internacional do Sebrae

A Missão Internacional Israel, promovida pelo Sebrae em Rondônia deve gerar grande frutos em breve. Empreendedores rondonienses compuseram a comitiv

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Mais da metade da população europeia deve ser infectada pela variante Ômicron do coronavírus nas próximas seis a oito semanas, disse nesta terça-fei

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

Em 16 de novembro, durante uma difícil operação de busca e resgate a menos de 30 milhas náuticas da costa da Líbia no Mediterrâneo Central, a equipe