Porto Velho (RO) sábado, 2 de julho de 2022
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Correa diz que deixará o hospital de Quito 'como presidente ou como cadáver'



 Luiz Antônio Alves
 Agência Brasil na Argentina

Buenos Aires – O presidente do Equador, Rafael Correa, disse para o canal de televisão Telesur – rede de televisão com sede na Venezuela, mantida por vários governos – e confirmou que está sequestrado pelos policiais e militares que se rebelaram contra o corte de salários e benefícios permitidos pela Lei do Serviço Público. Correa teve de ser atendido no hospital após aspirar gás lacrimogênio de uma bomba lançada quando ele tentava dialogar com os rebeldes.

Correa disse à Telesur que os policiais e militares não autorizaram sua saída do hospital. "Minha segurança está gravemente maltratada. Já está pronta uma operação para resgatar-me, mas isso ainda não foi possível. Saio daqui como presidente ou como cadáver".

O presidente do Equador afirmou que o apoio popular a seu governo foi e continua sendo demonstrado nas ruas de Quito, a capital do país. "Peço à população que mantenha a calma. Que nos roubem tudo, menos a esperança. Não entendo o que acontece com a polícia nacional, mas que estes fatos nos sirvam de exemplo e experiência".

Correa disse que os policiais e militares rebeldes "abusaram das armas que o povo equatoriano lhes deu. O país tem que mudar, precisamos seguir em frente. Os golpes de Estado não podem voltar à nossa região.

Há pouco manifestantes manifestaram apoio ao presidente Correa nas ruas de Buenos Aires. A concentração diante da embaixada equatoriana transformou-se numa marcha que se dirigiu até o Palácio San Martin, sede da chancelaria argentina, onde acontecerá reunião de emergência de presidentes dos países que integram a União das Nações Sul-Americanas (Unasul).

O Brasil será representado pelo secretário-geral do Itamaraty, embaixador Antônio Patriota. A Unasul é um bloco regional formado por Argentina, Brasil, Uruguai, Paraguai, Bolívia, Colômbia, Equador, Peru, Chile, Guiana, Suriname e Venezuela.
 

Mais Sobre Mundo - Internacional

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Mais da metade da população europeia deve ser infectada pela variante Ômicron do coronavírus nas próximas seis a oito semanas, disse nesta terça-fei

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

Em 16 de novembro, durante uma difícil operação de busca e resgate a menos de 30 milhas náuticas da costa da Líbia no Mediterrâneo Central, a equipe

Com avanço nas Américas, Delta é "altamente preocupante", diz Organização Pan-Americana de Saúde

Com avanço nas Américas, Delta é "altamente preocupante", diz Organização Pan-Americana de Saúde

A variante Delta do novo coronavírus é "altamente preocupante", à medida que a mutação tem se espalhado para quase 20 países nas Américas, disseram