Porto Velho (RO) sexta-feira, 19 de agosto de 2022
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Coreias do Sul e do Norte definem início de diálogo


l

Renata Giraldi*
Agência Brasil

Brasília – O governo da Coreia do Sul anunciou hoje (6) que aceita a proposta da Coreia do Norte de dar início às negociações na tentativa de encerrar o impasse e o clima de tensão na região. As conversas ocorrem no momento em que há a ameaça de uma guerra nuclear, deflagrada pelos norte-coreanos. Ainda não foram definidos data e local para as primeiras reuniões.

A ideia é retomar as atividades no complexo industrial de Kaesong, única parceria entre as duas Coreias, encerradas temporariamente no mês passado. No local, cerca de 50 mil operários norte-coreanos trabalham em fábricas sul-coreanas. A parceria rende lucros para os dois países.
As Coreias vivem sob clima de conflito desde 2003, quando houve uma guerra (1950-1953), iniciando a separação entre os dois países e mantendo a chamada zona desmilitarizada. A Coreia do Norte é um Estado comunista e um dos países mais fechados do mundo. A Coreia do Sul vive sob uma democracia liberal capitalista e é uma das maiores economias do mundo.

Em comunicado, o Ministério da Unificação da Coreia do Sul, responsável pela articulação de negociações com a Coreia do Norte, confirmou a intenção de iniciar o diálogo. “[O governo da Coreia do Sul] recebe positivamente a proposta de discussões oficiais da Coreia do Norte", diz o texto. "Esperamos que a Coreia do Sul e a Coreia do Norte aproveitem essa oportunidade para construir uma relação de confiança mútua", acrescenta.

O governo da Coreia do Norte, em comunicado divulgado pela agência estatal de notícias KCNA, por meio da Comissão para a Reunificação Pacífica (cuja sigla em inglês é CPRK), que é responsável pelas relações com os sul-coreanos, propôs iniciar negociações, especificamente, sobre o complexo industrial de Kaesong e também uma reunião de famílias separadas pelo fim da Guerra da Coreia, em 1953.

O CPRK não detalhou o nível de representação para essas negociações e deixou a Seul a escolha de um local e uma data. "As questões humanitárias, como a reunião das famílias separadas, podem ser debatidas nas negociações, se necessário", diz o comunicado da CPRK.

*Com informações da agência pública de notícias de Portugal, Lusa

VOCÊ PODE GOSTAR

Missão em Israel proporciona grande experiência de fortalecimento comercial com produtos de Rondônia

Missão em Israel proporciona grande experiência de fortalecimento comercial com produtos de Rondônia

Uma missão para um país como Israel, que se reinventou superando adversidades naturais e políticas, torna-se de grande relevância estratégica para est

Em Tel Aviv, potenciais de Rondônia são apresentados para empresários em Missão Internacional do Sebrae

Em Tel Aviv, potenciais de Rondônia são apresentados para empresários em Missão Internacional do Sebrae

A Missão Internacional Israel, promovida pelo Sebrae em Rondônia deve gerar grande frutos em breve. Empreendedores rondonienses compuseram a comitiv

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Mais da metade da população europeia deve ser infectada pela variante Ômicron do coronavírus nas próximas seis a oito semanas, disse nesta terça-fei

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

Em 16 de novembro, durante uma difícil operação de busca e resgate a menos de 30 milhas náuticas da costa da Líbia no Mediterrâneo Central, a equipe