Porto Velho (RO) segunda-feira, 30 de março de 2020
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Coreia do Norte quer dialogar sobre programa nuclear


Renata Giraldi*
Agência Brasil

Brasília – O governo da Coreia do Norte, que ameaça deflagrar uma guerra nuclear na Península Coreana podendo atingir vários países da região, informou que está disposto a retomar as negociações sobre o seu programa nuclear. O enviado especial norte-coreano à China, Choe Ryong-hae, disse hoje (24) às autoridades chinesas que o governo está disposto a seguir as recomendações de Pequim e retomar as negociações sobre o tema.

Choe, que é general quatro estrelas e diretor do Departamento Político do Exército norte-coreano, foi à China com a disposição de buscar um acordo, segundo ele. O militar se reuniu ontem (23) à noite com Liu Yunshan, do comitê permanente do Partido Comunista Chinês (PCC), o principal órgão de direção do regime.

“[O governo da China] espera que todas as partes implicadas façam adesão ao objetivo de desnuclearização da Península Coreana e mantenham a paz e a estabilidade”, disse Yunshan, em comunicado. “[Peço que] adotem medidas concretas para reduzir as tensões, façam avançar ativamente o diálogo e as consultas e retomem as conversações a seis partes, em breve.”

As negociações envolvem integrantes de seis países. Participam dos diálogos representantes das duas Coreias, da China, Rússia, dos Estados Unidos e do Japão. Desde 2003, o programa  programa nuclear norte-coreano é tema de reuniões do grupo, mas as discussões foram interrompidas em 2009, depois que a Coreia do Norte abandonou as conversas devido às sanções internacionais impostas ao país após novo teste nuclear.

*Com informações da agência pública de notícias de Portugal, Lusa

Mais Sobre Mundo - Internacional

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisadores de universidades americanas sugerem que os potenciais infiéis têm um perfil: Apresentam níveis educacionais e financeiros acima da méd

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

Quem pensa que o presidente francês Emmanuel Macron foi o primeiro presidente de uma potência europeia a questionar a soberania brasileira sobre a 

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Dos 183 países integrantes da Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas 38 pesquisados pelo organismo, entre eles o Brasil, contam com uma estratégia