Porto Velho (RO) quinta-feira, 11 de agosto de 2022
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Comitê investigador decreta que Wolfowitz violou normas do Banco Mundial


Agência O Globo WASHINGTON - O presidente do Banco Mundial, Paul Wolfowitz, violou as normas da instituição ao fixar as condições trabalhistas de sua noiva, indica o boletim divulgado, no final da noite desta segunda-feira, pelo comissão encarregada de investigar o caso. - O grupo concluiu que foi violado o código de conduta e as regras de pessoal 3.01, 5.02 e 6.01, assinala o documento, publicado na página web do Bird. O estudo de 53 páginas indica que, ao determinar as condições específicas da transferência temporária de sua noiva, Shaha Ali Riza, funcionária do banco, e dar instruções ao vice-presidente de recursos humanos para que aceitasse os termos estabelecidos, Wolfowitz incorreu em um "conflito de interesses". A comissão também determinou que o aumento salarial decretado por Wolfowitz para sua noiva supera o limite máximo estabelecido a regra 6.01. O presidente do Bird determinou que Riza receberia um aumento inicial de US$ 50 mil, que seria seguido de reajustes anuais. Após o primeiro aumento anual, seu salário passou par US$ 193.590, livres de impostos, mais do que ganha a secretária de Estado dos EUA, Condoleezza Rice. As revisões anuais de salário também superam o estipulado pelas normas, diz o documento divulgado pelo comitê investigador. A promoção decretada antes de sua transferência também foi irregular, segundo a regra 5.02 da instituição. Riza foi transferida de forma temporárai ao Departamento de Estado, em setembro de 2005, para evitar, assim, o conflito de interesses por ter seu noivo como chefe imediato. Essas transgressões e a polêmica subseqüente geraram uma "crise de liderança", segundo a comissão investigadora, que, a partir de suas conclusões, solicita ao Comitê Executivo do Banco Mundial que decida se o o ex-número dois do Pentágono será capaz de oferecer a liderança necessária para que o banco siga adiante com sua missão. O grupo investigador, integrado por sete dos 24 membros do Comitê Executivo, destaca, ainda, que a atual controvérsia "teve um efeito negativo dramático na reputação e credibilidade" do Banco Mundial. Está previsto que Wolfowitz compareça, nesta terça-feira, perante o Comitê Executivo, que deve adotar uma decisão sobre o caso entre esta terça e quarta-feira. Paul Wolfowitz tinha ganho um prazo extra, até a última sexta-feira, para apresentar sua defesa. A comissão esteve reunida durante todo o fim de semana e esta segunda-feira, antes de pronunciar sua conclusão. O Comitê Executivo pode, a partir de agora, pedir que Wolfowitz renuncie, expresse um voto de não-confiança ou adote uma medida para repreendê-lo. Matérias publicadas na imprensa americana, neste fim de semana, indicam que o Comitê estava inclinado a emitir um voto de não-confiança, o que tornaria difícil, ou melhor dizendo, praticamente impossível, a permanência de Wolfowitz à frente da instituição.

Mais Sobre Mundo - Internacional

Missão em Israel proporciona grande experiência de fortalecimento comercial com produtos de Rondônia

Missão em Israel proporciona grande experiência de fortalecimento comercial com produtos de Rondônia

Uma missão para um país como Israel, que se reinventou superando adversidades naturais e políticas, torna-se de grande relevância estratégica para est

Em Tel Aviv, potenciais de Rondônia são apresentados para empresários em Missão Internacional do Sebrae

Em Tel Aviv, potenciais de Rondônia são apresentados para empresários em Missão Internacional do Sebrae

A Missão Internacional Israel, promovida pelo Sebrae em Rondônia deve gerar grande frutos em breve. Empreendedores rondonienses compuseram a comitiv

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Mais da metade da população europeia deve ser infectada pela variante Ômicron do coronavírus nas próximas seis a oito semanas, disse nesta terça-fei

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

Em 16 de novembro, durante uma difícil operação de busca e resgate a menos de 30 milhas náuticas da costa da Líbia no Mediterrâneo Central, a equipe