Porto Velho (RO) domingo, 5 de abril de 2020
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Cidade do Congo vive estágio inicial de epidemia de ebola


Da BBC Brasil

Brasília – Ao menos uma pessoa morreu em uma epidemia do vírus ebola, no Nordeste da República Democrática do Congo, informaram autoridades hoje (18). A vítima é um dos dois pacientes já diagnosticados com a doença na cidade de Isiro. Médicos locais dizem estar tentando localizar e isolar pessoas que tenham entrado em contato com os pacientes.

Segundo a organização não governamental (ONG) Médicos Sem Fronteiras, não se trata da mesma variedade do vírus recentemente identificada na vizinha Uganda, onde 16 pessoas morreram em uma epidemia no mês passado. "Até o momento, não há ligação entre as duas epidemias", disse à BBC a representante da ONG Anja de Weggheleire.

Quanto à epidemia no Congo, ela informou que, no momento, “aparentemente não há muitos casos, mas o número exato [de infectados] é desconhecido". Especialistas dizem que o fato de a cidade ser um local de passagem pode facilitar a transmissão do vírus para outros locais.

Não há vacina para o ebola e os sintomas da contaminação incluem febres repentinas, sensação de fraqueza, dores de cabeça, vômito e problemas renais.
 

Mais Sobre Mundo - Internacional

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisadores de universidades americanas sugerem que os potenciais infiéis têm um perfil: Apresentam níveis educacionais e financeiros acima da méd

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

Quem pensa que o presidente francês Emmanuel Macron foi o primeiro presidente de uma potência europeia a questionar a soberania brasileira sobre a 

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Dos 183 países integrantes da Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas 38 pesquisados pelo organismo, entre eles o Brasil, contam com uma estratégia