Porto Velho (RO) terça-feira, 31 de março de 2020
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Chefes árabes defendem força militar conjunta de combate ao terrorismo



Agência Lusa

Os chefes dos Estados árabes defenderam  no primeiro dia da Reunião de Cúpula da Liga Árabe, no Cairo, a criação de uma força militar conjunta para combater os grupos terroristas, considerando como um teste a operação militar no Iêmen.

Depois de várias semanas com a criação de uma força militar conjunta entre as prioridades do encontro, o presidente egípcio, Abdel Fattah Al Sissi, convidou os líderes a constituir força especial para lutar contra a organização extremista autointitulada Estado Islâmico).

A organização tem intensificado as atrocidades no Iraque e na Síria e conquistado terreno na Líbia e no Egito.

Para os chefes de Estado reunidos no Egito, mais do que o medo em relação aos rebeldes xiitas hutis no Iêmen, há grande apreensão quanto ao rival xiita Irã e à sua atitude expansionista e de controle da região.

A atual situação no Iêmen, onde ocorre uma operação militar que envolve a Arábia Saudita e vários países árabes, leva esses países a superar as suas diferenças e a avançar com a criação de uma força especializada para combater o terrorismo islamita.

Hoje, 14 corpos carbonizados foram retirados de um depósito de armas em Aden, o que eleva o número de mortos para mais de 75 em três dias nessa aldeia do sul do Iêmen.

"Potentes explosões ocorreram hoje à tarde em um depósito de armas", disse à agência AFP o diretor do Departamento de Saúde em Aden, Al Kheder Lassouar.

“Nós retiramos 14 corpos carbonizados e há outros cadáveres no interior do depósito a que ainda não tivemos acesso”, acrescentou.

Mais Sobre Mundo - Internacional

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisadores de universidades americanas sugerem que os potenciais infiéis têm um perfil: Apresentam níveis educacionais e financeiros acima da méd

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

Quem pensa que o presidente francês Emmanuel Macron foi o primeiro presidente de uma potência europeia a questionar a soberania brasileira sobre a 

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Dos 183 países integrantes da Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas 38 pesquisados pelo organismo, entre eles o Brasil, contam com uma estratégia