Porto Velho (RO) domingo, 5 de abril de 2020
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Cerco a shopping no Quênia continua


Da Telam

Agência Brasil / Brasília – Extremistas islâmicos da Somália que tomaram, desde o último sábado (21), o centro comercial Westgate Mall, em Nairóbi, capital do Quênia, continuam no local. Na manhã de hoje (23), as Forças de Defesa do Quênia (KDF, sigla em inglês) informaram que o episódio poderia ser encerrado em breve, o que ainda não ocorreu. O número de mortos já chega a 69, segundo informações da Cruz Vermelha do país.

No local, pode ser vista uma espessa nuvem de fumaça e disparos de armas de fogo foram ouvidos. Em meio a este cenário, o ministro do Interior queniano, Ole Lenku, disse que o resgate está "chegando ao fim e que dois militantes do Al Shabaab morreram hoje cedo em confrontos com as forças de segurança, que mantêm cercado o complexo comercial".

Lenku informou ainda que algumas pessoas foram presas no aeroporto local para serem interrogadas sobre o ataque e apelou aos quenianos que permaneçam fora da área do shopping por questões de segurança. O ministro disse que a maioria dos reféns foi libertada, mas que o número exato de pessoas envolvidas no caso ainda não pode ser confirmado.

Mais Sobre Mundo - Internacional

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisadores de universidades americanas sugerem que os potenciais infiéis têm um perfil: Apresentam níveis educacionais e financeiros acima da méd

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

Quem pensa que o presidente francês Emmanuel Macron foi o primeiro presidente de uma potência europeia a questionar a soberania brasileira sobre a 

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Dos 183 países integrantes da Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas 38 pesquisados pelo organismo, entre eles o Brasil, contam com uma estratégia