Porto Velho (RO) quarta-feira, 29 de junho de 2022
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Brasil vai doar US$ 2 milhões ao Haiti para ajudar no combate à epidemia de cólera


 
Paula Laboissière

Agência Brasil,
Brasília - O Ministério das Relações Exteriores anunciou na noite de ontem (25) a doação de US$ 2 milhões para auxílio à população e ao governo do Haiti no combate à epidemia de cólera registrada este mês. O dinheiro será utilizado para a compra de remédios e para o fornecimento de equipamentos hospitalares.

O Brasil vai enviar também dois médicos epidemiologistas, que devem chegar ao Haiti ainda esta semana para ajudar as autoridades locais a montar uma estratégia contra a doença.

Por meio de nota, o Itamaraty informou ainda que o Ministério da Saúde estuda a transferência de recursos autorizados por crédito extraordinário para o escritório da Organização Pan-Americana da Saúde no Haiti.

As medidas foram tomadas em reunião coordenada pelo ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, com participação de representantes dos ministérios da Saúde e da Defesa e do embaixador do Brasil no Haiti, Igor Kipman.

O governo brasileiro já havia anunciado, no último sábado (23), o envio de técnicos do Ministério da Saúde e de medicamentos e material hospitalar ao Haiti. Também por meio de nota, o Itamaraty informou que “o governo brasileiro acompanha com preocupação” os casos de cólera nas regiões de Mirebalais e Saint Marca – localizadas a cerca de 100 quilômetros da capital haitiana, Porto Príncipe.

A Embaixada do Brasil no país informou que o comandante militar da Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (Minustah), general Luiz Guilherme Paul Cruz, e o representante especial adjunto do secretário-geral das Nações Unidas para o Haiti, Nigel Fisher, já se deslocaram para as áreas mais afetadas. O objetivo é elaborar um plano de contingência caso a infecção atinja a capital.

Autoridades haitianas calculam em 250 as mortes provocados pela doença até o momento, além de um total de 3.342 infecções.

O terremoto que atingiu o Haiti em 12 de janeiro deste ano deixou cerca de 1,5 milhão de pessoas sem teto e matou cerca de 250 mil. Até hoje, milhares vivem em acampamentos, sem saneamento básico e com acesso limitado à água potável. Uma das hipóteses é que o surto de cólera tenha sido provocado pelo consumo de água contaminada do Rio Artibonite.

 

Mais Sobre Mundo - Internacional

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Mais da metade da população europeia deve ser infectada pela variante Ômicron do coronavírus nas próximas seis a oito semanas, disse nesta terça-fei

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

Em 16 de novembro, durante uma difícil operação de busca e resgate a menos de 30 milhas náuticas da costa da Líbia no Mediterrâneo Central, a equipe

Com avanço nas Américas, Delta é "altamente preocupante", diz Organização Pan-Americana de Saúde

Com avanço nas Américas, Delta é "altamente preocupante", diz Organização Pan-Americana de Saúde

A variante Delta do novo coronavírus é "altamente preocupante", à medida que a mutação tem se espalhado para quase 20 países nas Américas, disseram