Porto Velho (RO) segunda-feira, 8 de agosto de 2022
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Brasiguaios encaminham pedido a Dilma para reconhecer novo governo paraguaio


Renata Giraldi e Monica Yanakiew*
Enviadas Especiais
Agência Brasil

Assunção – Representantes de 350 mil brasiguaios (agricultores brasileiros que moram no Paraguai) tentarão se reunir hoje (25) com o novo presidente Federico Franco para pedir apoio e segurança em suas propriedades rurais. Ontem (24), eles encaminharam à presidenta Dilma Rousseff um pedido para que o Brasil reconheça o governo Franco e trate o Paraguai como país amigo.

“[Solicitamos] que o governo do Brasil, no menor tempo possível, reconheça o novo governo paraguaio e restabeleça a fraterna relação que sempre existiu entre os dois países. Esta decisão é fundamental para dar tranquilidade ao povo paraguaio e à comunidade brasileira [que vive em território paragauio]”, diz o documento.

O pedido foi entregue ao cônsul brasileiro em Ciudad del Este, embaixador Flávio Roberto Bonzanini, durante reunião com os representantes dos brasiguaios. Os números envolvendo a comunidade variam, de acordo com a contabilidade feita. Os brasiguaios consideram todas as famílias, por isso chegam a 350 mil, os produtores rurais paraguaios avaliam 110 mil e o governo trabalha com 6 mil.

Os brasiguaios relatam que sofreram perseguição nos últimos anos e ficaram impedidos de trabalhar. A maioria vive nas áreas de fronteira do Brasil com o Paraguai e se queixam da falta de apoio das autoridades paraguaias. Há, entre os brasiguaios, grandes, médios e pequenos produtores rurais. Mas todos reclamam das tensões no campo. Eles contam que são ameaçados por carperos (sem-terra paraguaios) e sofrem discriminação porque não são paraguaios.

No documento entregue ao embaixador e que deverá ser encaminhado à presidenta, os brasiguaios contam ainda que muitos estão no país há mais de 40 anos. É o caso do produtor rural gaúcho Áureo Friguetto, que foi para o Paraguai há 42 anos, e participou da reunião com o cônsul. “O presidente Franco nos deu garantias de que vai seguir a ordem da Justiça. Antes, não tínhamos garantia alguma. Agora é diferente. É isso que precisa ser compreendido”, disse ele.

O novo presidente do Paraguai chamou anteontem (22) os brasiguaios de “cidadãos paraguaios”, e o ministro das Relações Exteriores, José Félix Fernández Estigarribia, também prometeu dar atenção ao tema. No entanto, lembrou que a questão agrária no Paraguai é delicada. O ministro do Interior, Carmelo Caballero, disse que mais do que promessas, o governo adotará ações de proteção aos brasiguaios.

*Correspondente da EBC na Argentina

Mais Sobre Mundo - Internacional

Missão em Israel proporciona grande experiência de fortalecimento comercial com produtos de Rondônia

Missão em Israel proporciona grande experiência de fortalecimento comercial com produtos de Rondônia

Uma missão para um país como Israel, que se reinventou superando adversidades naturais e políticas, torna-se de grande relevância estratégica para est

Em Tel Aviv, potenciais de Rondônia são apresentados para empresários em Missão Internacional do Sebrae

Em Tel Aviv, potenciais de Rondônia são apresentados para empresários em Missão Internacional do Sebrae

A Missão Internacional Israel, promovida pelo Sebrae em Rondônia deve gerar grande frutos em breve. Empreendedores rondonienses compuseram a comitiv

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Mais da metade da população europeia deve ser infectada pela variante Ômicron do coronavírus nas próximas seis a oito semanas, disse nesta terça-fei

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

Em 16 de novembro, durante uma difícil operação de busca e resgate a menos de 30 milhas náuticas da costa da Líbia no Mediterrâneo Central, a equipe