Porto Velho (RO) sexta-feira, 27 de maio de 2022
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Bolívia espera decisão favorável da Corte de Haia na questão da saída para o mar


Leandra Felipe – Correspondente da Agência Brasil/EBC*

O presidente da Bolívia, Evo Morales, disse ontem (28) que também espera uma decisão da Corte Internacional de Justiça, que tem sede em Haia, na Holanda, sobre a demanda apresentada contra o Chile para que seu país recupere sua saída para o Oceano Pacífico. Motivado por decisão favorável ao Peru em demanda contra o Chile, anunciada na última segunda-feira (27) pela Corte, Morales manifestou-se esperançoso de um “resultado semelhante”.

A Bolívia apresentou a demanda em abril do ano passado, solicitando que a Corte Internacional de Justiça determine que o Chile negocie a reintegração de uma saída boliviana para o Oceano Pacífico. As relações diplomáticas entre os dois países foram suspensas em 1978, mas a Bolívia havia perdido sua saída para o mar quase um século antes, em 1879, após combater o Chile ao lado do Peru.“Vamos continuar nosso processo contra o Chile, com  seriedade e responsabilidade jurídica”, afirmou Morales, embora tenha admitido que o impasse do mar é um problema central na prolongada situação de distanciamento entre La Paz e Santiago.

Morales explicou que a controvérsia no caso boliviano é substancialmente diferente da situação peruana. “Recorremos ao tribunal para resolver um problema de reclusão [isolamento]”, explicou.
A Bolívia perdeu para o Chile, 400 quilômetros (km) de costa e 120 mil quilômetros quadrados de superfície, após a guerra do Pacífico (1879-1883)

Conversações sobre a contenda chegaram a ser estabelecidos em 2006, entre os governos de Evo Morales e da ex-presidenta Michelle Bachelet, mas os diálogos foram interrompidos após a eleição de Sebastián Piñera. Morales já declarou que espera retomar o diálogo com Bachelet, que foi eleita presidenta e assume novamente o cargo.

*Com informações da Telam

Mais Sobre Mundo - Internacional

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Mais da metade da população europeia deve ser infectada pela variante Ômicron do coronavírus nas próximas seis a oito semanas, disse nesta terça-fei

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

Em 16 de novembro, durante uma difícil operação de busca e resgate a menos de 30 milhas náuticas da costa da Líbia no Mediterrâneo Central, a equipe

Com avanço nas Américas, Delta é "altamente preocupante", diz Organização Pan-Americana de Saúde

Com avanço nas Américas, Delta é "altamente preocupante", diz Organização Pan-Americana de Saúde

A variante Delta do novo coronavírus é "altamente preocupante", à medida que a mutação tem se espalhado para quase 20 países nas Américas, disseram