Porto Velho (RO) sexta-feira, 19 de agosto de 2022
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Bird: 90% dos funcionários querem afastamento de Wolfowitz


Agência O Globo WASHINGTON - Pelo menos 90% dos trabalhadores do Banco Mundial querem que Paul Wolfowitz abandone a presidência da instituição, disse a presidente da Associação de Empregados do Bird, Alison Cave. - O que ele fez afeta a credibilidade do banco - afirmou, referindo-se à decisão do ex-funcionário do Pentágono de aumentar em quase US$ 61 mil o salário anual de sua namorada, a britânica de origem libanesa Shaha Ali Riza, também funcionária do Banco Mundial. Cave, americana especialista em planejamento urbano, se tornou uma espécie de celebridade ao personificar a revolta dos funcionários do Bird contra seu chefe. O jornal Washington Post a batizou recentemente de "Némesis" de Wolfowitz, em referência à Deusa da vingança na mitologia grega. Cave afirma no entanto que não se trata de uma vingança pessoal e solitária. - É impossível atuar sozinha - afirmou, visivelmente chateada durante a entrevista, que ocorreu em seu escritório na sede do banco. Ela acrescentou que foi eleita e que trabalha em coordenação com o restante dos delegados do grupo que dirige. A Associação de Empregados é uma espécie de sindicato que representa 10 mil trabalhadores do organismo e conta com mais de 100 delegados e um comitê executivo de onze pessoas. Ela também negou que a associação julgue Wolfowitz por seu passado como um dos principais arquitetos da gerra do Iraque. - O julgamos pelo que fez nesta organização e pelo impacto que sua conduta tem sobre nosso trabalho - acrescentou. Segundo Cave, tanto Wolfowitz como seus assessores mais próximos geram desconfiança entre o pessoal do banco. E lamentou que o executivo não tenha assumido sua responsabilidade no escândalo sobre nepotismo. - Ele não está fazendo nada - disse Cave, lembrando que o executivo poderia ter revisto o contrato de Riza, cujo aumento salarial é mais que o dobro do permitido. A sindicalista contou ter dito pessoalmente a Wolfowitz que o mais lógico teria sido o afastamento de Riza do banco assim que ele assumiu o comando da empresa. - Isso é o que fazem muitos casais - disse, acrescentando que quando a elegeram presidente da Associação de Empregados decidiu, juntamente com seu marido, um consultor egípcio, que ele não aceitaria nenhum contrato com o banco enquanto ela ocupasse o posto. Kevin Kellems, uma das pessoas mais próximas de Wolfowitz no Banco, disse em artigo publicado em 9 de abril na revista The New Yorker que Wolfowitz não havia tido nada a ver com a promoção e a ascensão de Riza. - Todas as promoções relacionadas a Shaha Ali Riza foram feitas a pedido do Conselho Executivo do banco - afirmou Kellems. Mais tarde, foi revelado que Wolfowitz foi quem acertou os detalhes. Ele alega que o fez em última instância, depois que o Conselho Executivo se negou a aceitá-lo, mas Roberto Dañino, ex-primeiro ministro peruano e ex-assesor legal do Banco, assegurou neste mês em entrevista à revista peruana Caretas que Wolfowitz o afastou do caso Riza depois de ter lhe dito que as propostas que fazia não se ajustavam aos padrões do banco. Dañino foi demitido em setembro de 2005. Em meio à polêmica, Wolfowitz deverá comparecer, juntamente com Riza, nesta segunda-feira, ao Conselho Executivo do Bird para se defender. Seu advogado disse que ele não pedirá demissão e que mostrará documentos comprovando que o comitê de ética consentiu no aumento de salário de Riza. Um porta-voz de Ad Melkert, ex-presidente do Comitê de Ética do Conselho Executivo, assegurou no dia 9 de abril que "dependeu completamente da Direção do Banco a determinação dos termos específicos e das novas condições de trabalho da namorada de Wolfowitz". O Washington Post informou neste fim de semana que um painel designado pelo Conselho Executivo concluiu que o ex-funcionário do Pentágono violou as normas éticas do Banco.

VOCÊ PODE GOSTAR

Missão em Israel proporciona grande experiência de fortalecimento comercial com produtos de Rondônia

Missão em Israel proporciona grande experiência de fortalecimento comercial com produtos de Rondônia

Uma missão para um país como Israel, que se reinventou superando adversidades naturais e políticas, torna-se de grande relevância estratégica para est

Em Tel Aviv, potenciais de Rondônia são apresentados para empresários em Missão Internacional do Sebrae

Em Tel Aviv, potenciais de Rondônia são apresentados para empresários em Missão Internacional do Sebrae

A Missão Internacional Israel, promovida pelo Sebrae em Rondônia deve gerar grande frutos em breve. Empreendedores rondonienses compuseram a comitiv

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Mais da metade da população europeia deve ser infectada pela variante Ômicron do coronavírus nas próximas seis a oito semanas, disse nesta terça-fei

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

Em 16 de novembro, durante uma difícil operação de busca e resgate a menos de 30 milhas náuticas da costa da Líbia no Mediterrâneo Central, a equipe