Porto Velho (RO) terça-feira, 9 de agosto de 2022
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Bento XVI pede o fim das rivalidades dentro da Igreja Católica


Da Lusa

Agência Brasil, Brasília - O papa Bento XVI fez um apelo hoje (13) em sua última missa na Basílica de São Pedro, no Vaticano, pelo fim da "hipocrisia religiosa" e de "rivalidades" dentro da Igreja Católica.

"O rosto da Igreja é por vezes marcado pelos pecados contra a unidade da Igreja e divisões no clero", disse o sumo pontífice, que trajava as tradicionais vestes roxas das celebrações da Quaresma, período católico de penitência antes da Páscoa.

Bento XVI, que anunciou na segunda-feira a renúncia ao papado por falta de capacidade física, disse que "a cara da Igreja" se apresenta "por vezes, desfigurada".

"Penso nos ataques à unidade da Igreja, nas divisões no corpo eclesiástico", disse o papa, perante os cardeais. Ele apontou a incoerência dos que se insurgem contra "os escândalos e injustiças naturalmente cometidas por outros", mas que não estão "prontos a agir no seu próprio coração, consciência e intenções".

Visivelmente debilitado, o papa foi transportado em uma plataforma móvel da entrada da vasta nave da Basílica de São Pedro até o altar.

No início do dia, na sua audiência semanal com milhares de fiéis no auditório do Vaticano, o cardeal Joseph Ratzinger foi recebido com uma ovação de pé e aclamações de Benedetto. "Continuem a rezar por mim, pela Igreja e pelo futuro papa", disse Bento XVI, com a voz embargada.

O Vaticano anunciou que os 117 cardeais eleitores do novo papa vão se reunir a 15 de março ou nos dias seguintes para escolher o sucessor. O conclave terá lugar na Capela Sistina, ao longo de vários dias, e o nome do novo papa deverá estar escolhido até a Páscoa. Entre os candidatos estão europeus e norte-americanos, mas também sul-americanos e africanos.

Bento XVI deixará o papado em 28 de fevereiro, às 19h GMT (chamada Hora de Greenwich, equivalente às 16h de Brasília, fora do horário brasileiro de verão). Após a renúncia, ele seguirá para a residência papal de Castel Gandolfo, perto de Roma, onde irá viver temporariamente, enquanto é renovada a sua nova residência permanente no Vaticano.

Até a saída, terá encontros com o primeiro-ministro italiano, Mario Monti, e com o presidente Giorgio Napolitano, em período no qual o país vive a campanha eleitoral para as eleições de 24 e 25 de fevereiro.

O seu último evento público será a audiência de 27 de fevereiro, na Praça de São Pedro. O sumo pontífice disse hoje ser capaz de sentir "o amor dos fiéis, quase fisicamente, nestes dias difíceis".

Mais Sobre Mundo - Internacional

Missão em Israel proporciona grande experiência de fortalecimento comercial com produtos de Rondônia

Missão em Israel proporciona grande experiência de fortalecimento comercial com produtos de Rondônia

Uma missão para um país como Israel, que se reinventou superando adversidades naturais e políticas, torna-se de grande relevância estratégica para est

Em Tel Aviv, potenciais de Rondônia são apresentados para empresários em Missão Internacional do Sebrae

Em Tel Aviv, potenciais de Rondônia são apresentados para empresários em Missão Internacional do Sebrae

A Missão Internacional Israel, promovida pelo Sebrae em Rondônia deve gerar grande frutos em breve. Empreendedores rondonienses compuseram a comitiv

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Mais da metade da população europeia deve ser infectada pela variante Ômicron do coronavírus nas próximas seis a oito semanas, disse nesta terça-fei

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

Em 16 de novembro, durante uma difícil operação de busca e resgate a menos de 30 milhas náuticas da costa da Líbia no Mediterrâneo Central, a equipe