Porto Velho (RO) sexta-feira, 3 de abril de 2020
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Agravamento de crise com a Bolívia pode afetar fornecimento de gás para o Brasil


Ramona Ordoñez - Agência O Globo RIO - O agravamento da tensão entre o governo boliviano e as empresas petrolíferas que atuam no país, entre as quais a Petrobras, poderá vir a causar problemas sérios no fornecimento do gás natural para o Brasil pela falta de investimentos na manutenção nos equipamentos. O Ministério de Hidrocarburos da Bolívia assinou uma Resolução pela qual retoma as duas refinarias existentes, de propriedade da Petrobras, sem qualquer pagamento de indenização. Pela Resolução, a Petrobras passa a ser mera operadora. O especialista Adriano Pires Rodrigues, do Centro Brasileiro de Infra-Estrutura, disse que com a paralisação de investimentos pelas empresas petrolíferas nas atividades de produção e transporte do gás, podem ocorrer problemas de manutenção nos sistemas e equipamentos. Adriano Pires disse ter tido notícias, não confirmadas, de que dois de três compressores de gás nas instalações da Repsol na Bolívia estariam parados com defeito. - As empresas pararam de investir, então meu receio é de ocorrer alguma interrupção no fornecimento pro problemas de manutenção - disse Adriano Pires. O especialista disse não ter ficado surpreso com a decisão recente do governo de Evo Morales Ele acredita que em breve deverá ser divulgada outra Resoluçao, tomando também os campos de produção de gás, e tornando as empresas petrolíferas (Petrobras, Repsol, entre outras), também meras prestadoras de serviços.

Mais Sobre Mundo - Internacional

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisadores de universidades americanas sugerem que os potenciais infiéis têm um perfil: Apresentam níveis educacionais e financeiros acima da méd

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

Quem pensa que o presidente francês Emmanuel Macron foi o primeiro presidente de uma potência europeia a questionar a soberania brasileira sobre a 

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Dos 183 países integrantes da Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas 38 pesquisados pelo organismo, entre eles o Brasil, contam com uma estratégia