Porto Velho (RO) quarta-feira, 8 de abril de 2020
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Agências da ONU advertem sobre dificuldades para ajudar Coreia do Norte


Renata Giraldi*
Agência Brasil

Brasília – Um grupo de cinco agências vinculadas à Organização das Nações Unidas (ONU) advertiu que as sanções internacionais impostas à Coreia do Norte prejudicam o financiamento de auxílio humanitário ao país. As agências apelaram por um financiamento de US$ 29,4 milhões para a compra de alimentos e medicamentos.

Entre as agências que deram o alerta estão o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), o Programa Alimentar Mundial (PMA), a Organização Mundial da Saúde (OMS), a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) e o Fundo de População das Nações Unidas (Unfpa).

A Coreia do Norte é considerada o país mais isolado do mundo. Há cerca de meio século está sob o regime socialista, mantendo-se ligado apenas a algumas nações, como a China e Cuba. Nos últimos dias, a situação na região agravou-se com a ameaça das autoridades de deflagrar uma guerra nuclear na Península Coreana.

*Com informações da agência pública de notícias de Portugal, Lusa
 

Mais Sobre Mundo - Internacional

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisadores de universidades americanas sugerem que os potenciais infiéis têm um perfil: Apresentam níveis educacionais e financeiros acima da méd

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

Quem pensa que o presidente francês Emmanuel Macron foi o primeiro presidente de uma potência europeia a questionar a soberania brasileira sobre a 

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Dos 183 países integrantes da Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas 38 pesquisados pelo organismo, entre eles o Brasil, contam com uma estratégia