Porto Velho (RO) quinta-feira, 20 de setembro de 2018
×
Gente de Opinião

Meio Ambiente

VAZIO SANITÁRIO Começa nesta quinta-feira período de proibição do plantio de soja em Rondônia



O vazio sanitário da soja, período que o cultivo da soja fica proibido, começa nesta quinta-feira (15) e segue até 15 de setembro. Em Rondônia, na última safra a soja foi cultivada em 1.243 propriedades rurais, totalizando 262.432 hectares.

Gente de Opinião

Vazio sanitário acontece de 15 de junho a 15 de setembro

O vazio sanitário busca diminuir e controlar a ferrugem asiática da soja, uma das principais pragas deste tipo de lavoura. A ferrugem asiática pode causar danos ao cultivo da soja de até 90%. Além da proibição do cultivo, o produtor também deve eliminar todas as plantas voluntárias, conhecidas como tigueras, seja por meio mecânico ou químico.

A gerente de Defesa Vegetal da Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia (Idaron), Rachel Barbosa, explicou que o vazio sanitário é uma medida fitossanitária que dá segurança no controle da ferrugem. “Através de pesquisas, foi verificado que é o método mais eficiente para o controle, porque o fungo não sobrevive sem um hospedeiro. Por isso é importante eliminar até as plantas voluntárias”, disse.

O não cumprimento do vazio sanitário pode acarretar em multa de R$ 1.304,20 a R$ 6.521, dependendo da situação. “O objetivo da Idaron não é multar o produtor rural, mas às vezes é preciso para garantir para aquele que faz tudo certo que a produção dele não será prejudicada pelo fez errado”, explicou o presidente da Idaron, Anselmo de Jesus.

Após o vazio sanitário, os produtores devem cadastrar as áreas produtoras de soja na Idaron, através do site: www.idaron.ro.gov.br ou em uma unidade de atendimento.

PRODUÇÃO

De acordo com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), na safra 2016/2017 foram produzidas 908,3 mil toneladas de soja em Rondônia, representando um aumento de 18% em relação à anterior.

Leia Mais:

Produção de soja em Rondônia tem
expectativa de crescimento maior que a média nacional


Fonte
Texto: Amabile Casarin
Fotos: Amabile Casarin
Secom - Governo de Rondônia

Mais Sobre Meio Ambiente

SP corre risco de enfrentar crise hídrica mais grave que a de 2014

SP corre risco de enfrentar crise hídrica mais grave que a de 2014

O Sistema Cantareira, que abastece parte da capital paulista e da Região Metropolitana, estava com quase 60% da capacidade um ano antes da crise de 20

Novo marco legal do saneamento gera polêmica no setor

Novo marco legal do saneamento gera polêmica no setor

Agentes reguladores estão avaliando a medida provisória

Parque Ecológico Municipal recebe plantio de Ipê e Flamboyant

Parque Ecológico Municipal recebe plantio de Ipê e Flamboyant

Um grupo de 30 crianças da Fundação JiCred plantou mudas de ipê e flamboyant no Parque Ecológico Municipal. A ação foi realizada pelo Sistema Cooperat