Terça-feira, 23 de abril de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Meio Ambiente

SE NÃO CHOVER O RIO ACRE VAI IGUALAR NÍVEL DE 2005


Se não chover nos próximos dias, existe a possiblidade do rio igualar o nível atingido em 2005, quando ocorreu a maior seca da história de nossa região
Nota publicada pelo grupo de pesquisa interinstitucional e interdisciplinar GTP-Queimadas indica que o Rio Acre caminha, caso permaneça a falta de chuvas em sua bacia, para atingir a cota mais baixa desde que seu nível começou a ser monitorado em 1971.
A imagem ao lado é do rio Acre na região de Assis Brasil (Acre)-Iñapari (Peru). Observem que naquela região é possível atravessar a rio a pé e muitas pessoas estão usando suas praias/leito como caminho alternativo.
O ponto mais baixo já atingido pelo rio foi em 2005, quando seu nível baixou para cerca de 1,6 m. Ontem, 23/8, a cota do rio estava em cerca de 1,9 m (veja gráfico de cota mínima abaixo).
Segundo o pesquisador Foster Brown, do PZ/UFAC/Woods Hole, "isto significa que há pouca água no subsolo da bacia do Rio Acre. A falta de chuva em agosto ( 0,0 mm Cobija, 4.5 mm Rio Branco/Defesa Civil ate 23/8) agravou a situação de pouca chuva que já havia sido verificada em junho e julho".
Há uma previsão de chuva na friagem prevista para chegar na região entre os dias 26 e 27 próximos, mas se não ocorrer chuvas significativas, vamos continuar numa situação de riscos alto e critico para uma grande parte do Acre e da Região MAP.
O pesquisador alerta ainda que "as areas de florestas impactadas pelos incêndios de 2005 continuam como áreas de risco de incêndios florestais. O aumento de material morto no chão e a abertura da copa vão facilitar o alastramento de fogo".
Ele finaliza sua mensagem informando que cada dia que passa sem chuva aumenta o risco de incêndios acidentais. O bom manejo de fogo vai ser critico e a comunicação entre os órgãos governamentais e produtores rurais vai ser essencial para evitar incêndios acidentais.
Por Evandro Ferreira - http://ambienteacreano.blogspot.com/

Gente de OpiniãoTerça-feira, 23 de abril de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

EcoCast: série especial discute os desafios e oportunidades do mercado de carbono no Brasil

EcoCast: série especial discute os desafios e oportunidades do mercado de carbono no Brasil

Você sabe o que são os famosos créditos de carbono? E como eles funcionam, você sabe? Na série especial “Carbono: desafios e oportunidades” recebemos

Inovação e Sustentabilidade em Rondônia: UNIR e Eletrogoes Avançam na Pesquisa Florestal

Inovação e Sustentabilidade em Rondônia: UNIR e Eletrogoes Avançam na Pesquisa Florestal

O Grupo de Pesquisa de Recuperação de Ecossistemas e Produção Florestal, coordenado pelas Dra. Kenia Michele de Quadros e Dra. Karen Janones da Roch

Pesquisa estuda folha da Amazônia para substituição do mercúrio na extração de ouro

Pesquisa estuda folha da Amazônia para substituição do mercúrio na extração de ouro

Pau-de-balsa é uma espécie florestal nativa da Amazônia e já é utilizada de forma artesanal na Colômbia para extração de ouro.Agora, cinco instituiçõ

Ibama define nova prioridade para enfrentar perdas na biodiversidade e a crise climática

Ibama define nova prioridade para enfrentar perdas na biodiversidade e a crise climática

Neste ano em que completa 35 anos, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) comemora o impacto do trabalho

Gente de Opinião Terça-feira, 23 de abril de 2024 | Porto Velho (RO)